Posts Tagged ‘Violência’

O círculo vicioso nas ruas de nossas cidades

O problema dos moradores de rua se espalha pelo Estado. Até municípios menores, como Tijucas, têm registrado em seus territórios a presença cada vez maior de andarilhos, com o consequente aumento da insegurança, resultando no registro de casos policiais de furtos e assaltos. Preocupado, o prefeito Elmis Mannrich reuniu-se com autoridades da segurança pública. A área social da prefeitura e a Polícia Militar estudam soluções, porque evidentemente os casos (abandono e violência) estão relacionados. Ou seja: a questão dos moradores de rua não é mais apenas um problema social, principalmente porque quase todos são usuários de drogas e cometem crimes para sustentar o vício.

Solução

Em certos municípios catarinenses a questão dos moradores de rua é resolvida de maneira muito eficiente. As prefeituras recolhem os andarilhos. Eles são cadastrados e despachados de volta imediatamente para as cidades de origem. Simples assim. Outras prefeituras, no entanto, pioram a situação: lotam vans e mandam os desocupados para as cidades maiores, Florianópolis incluída.

Pintam e bordam

Cena recorrente e abusiva na região central de Florianópolis: as caçambas de entulho viraram um problema para a cidade, porque os responsáveis por esses equipamentos pintam e bordam em nossas ruas. O mais interessante é que existem leis a serem observadas, em especial quanto ao caso da imagem: por que um contêiner pode impedir a passagem dos pedestres, além de ocupar vagas de estacionamento?

Confinamento

Um dos mais belos templos católicos de Santa Catarina, a Igreja de São Francisco, localizada no centro da Capital, finalmente começa a ser reformada. Construída entre o final do século 18 e início do século 19, a igreja é um raro exemplar – preservado – do estilo barroco em Florianópolis. A restauração, financiada pelo governo do Estado, ganhou um adereço que pode ser percebido logo acima do tapume: arame farpado. “A violência está empurrando a sociedade para um grande campo de concentração”, comentou um amigo comigo.

Cinema

A produção cinematográfica catarinense ganha destaque na segunda edição da Maratona Cultural de Florianópolis, que ocorre a partir do dia 23, em diversos pontos da capital. A história do CircoTeatro Biriba será contada na produção ‘É Bucha”, com direção de Gláucia Grigolo e Renato Turnes. Já a cena musical dos anos 80 e 90 é o tema do filme Bolachas, dirigido por Marcos Martins. As duas produções serão exibidas no Cinema do CIC.

Março, seu lindo

Comentário geral, agora que a cidade é só nossa: se dias como os de março tivessem se mostrado tão esplendorosos em janeiro e fevereiro, talvez a quantidade de turistas em Florianópolis fosse muito maior. “Pelo menos uns 30% a mais de visitantes”, observou-me ontem um amigo hoteleiro.

* * *

“Muita gente desistiu de vir para cá por causa da chuva em janeiro”, completou, dizendo também que a questão da imobilidade urbana é o que menos importa para quem está de férias.

Advertência

Comenta-se a boca pequena que muitos irmãos da Irmandade Nosso Senhor Jesus dos Passos estão indignados com o uso político-eleitoral da procissão deste ano. Alguns pensam em não participar do ato de fé, porque não querem ver suas convicções religiosas misturadas a pré-candidaturas à sucessão do atual prefeito. “Estão usando o evento para palanque eleitoral”, confidenciou-me um irmão.

Bolas trocadas

Tem mais sobre a Procissão do Senhor dos Passos, incluída pela prefeitura na programação de aniversário da cidade. De forma imprudente, quem organizou o calendário cometeu um erro imperdoável: relaciona o ato religioso ao dia 24, sábado, quando acontece a pré-procissão (descida das imagens para a Catedral). A procissão de fato é no dia 25, domingo. O equívoco está registrado no site da prefeitura.

Carinho

Grupo evangélico Força Jovem vai às ruas com frequência – como fez na quinta-feira (8) – para estimular a fraternidade. Uma atitude pra lá de bacana: abraços grátis, sem nada em troca, apenas pelo gesto de carinho entre estranhos que normalmente se esbarram nas ruas, mas que não mantêm qualquer contato físico ou verbal. Curiosamente, os “abraçadores” não pregam qualquer mensagem religiosa.

Conselho…

O presidente do Grupo RIC, Mário José Gonzaga Petrelli, foi convidado a participar do Conselho Político da Associação Comercial de São Paulo, a mais importante do Brasil. O Conselho é coordenado pelo ex-senador e ex-governador Jorge Bornhausen e conta com outras personalidades de peso da vida pública nacional.

… de peso

Participam da entidade: o ex-ministro Pimenta da Veiga, o senador Heráclito Fortes, o deputado federal Vilmar Rocha, o ex-deputado petista Paulo Delgado, o ex-ministro da Fazenda e senador pernambucano Gustavo Krause, o ex-governador do Paraná, João Elísio Ferraz e Campos, e o vice-governador de São Paulo, Guilherme Afif.

Praça do Ovo

“Como já temos as popularmente conhecidas Praça do Banco Redondo e Praça do Avião, teremos agora então a… Praça do Ovo!”. Mensagem do diretor de Turismo da Acif, Ernesto São Thiago, sobre a mudança no desenho (era um triângulo e está ficando oval) da praça localizada próxima ao Ceisa Center, também conhecida como Praça Avenida.

Praças e nomes

Ainda sobre nossas praças, Ernesto São Thiago citou a Praça do Avião, que era referência importantíssima para a cidade, no Largo Benjamin Constant, onde na década de 1960 caiu um avião da Esquadrilha da Fumaça. O tenente-coronel Altair Salésio, do Corpo de Bombeiros, lembra à coluna que a tradicional Praça Getúlio Vargas é conhecida popularmente como Praça do Bombeiro.

Anúncios

O escândalo revelado

Há uma história movimentando a cidade há pelo menos três semanas. Trata de um crime sexual, que teria sido cometido por três adolescentes, contra uma menina de 13 anos. Não entrei no assunto porque, como jornalista, tenho que adotar critérios técnicos e éticos, diante de assunto tão grave, antes de abordá-lo.

Hoje o caso veio a público, em matéria divulgada pela RIC-Record, no seu telejornal noturno. Sem mencionar nomes – porque o Estatuto da Criança e do Adolescente preserva identidades, pouco importa a categoria social a que pertençam jovens infratores –, a reportagem sintetizou o caso, informou que há um inquérito aberto, que a vítima foi submetida a exames periciais e que o relatório final das autoridades policiais será remetido à Justiça nesta sexta-feira.

Abaixo, o comunicado distribuído agora à noite pelo Colégio Catarinense, injustamente envolvido nesse caso, através de uma carta apócrifa divulgada de maneira ampla pela internet.

O assassino do padre Alvino (atualizado)

Este post é uma atualização do anterior:

A Polícia Civil prendeu hoje cedo o assassino do padre Alvino Broering, morto com oito facadas no abdômen e nas costas, no dia 14 de dezembro de 2009. O criminoso é Maicon Costa Crispim, morador do município de Navegantes, que conheceu o padre através de uma página de relacionamento da Internet. Na noite do crime os dois saíram para passear em Balneário Camboriú, fizeram um lanche e retornaram a Itajaí pela BR-101. Segundo as informações da polícia o rapaz anunciou um assalto e o padre tentou se desvencilhar, depois de estacionar seu veículo num posto de gasolina da rodovia, por volta de 2 horas da manhã. Alvino Broering teria aproveitado um descuido do bandido para fugir, sendo alcançado pelo rapaz, que matou o religioso no estacionamento do posto.

Segundo as primeiras informações, os outros rapazes envolvidos não tiveram participação direta no crime — apenas ajudaram Maicon a gastar a grana do padre, comprando roupas e tênis de grife no comércio da região.

O que mais impressiona é que o trio circulou durante 20 dias com o carro do padre e nenhuma autoridade policial tenha se dado conta disso. Ou seja, mesmo com os bandidos dando moleza a polícia falhou: levou quase três semanas para descobrir o paradeiro do automóvel e prender o assassino.

Os assassinos do padre Alvino

A Polícia Civil de Itajaí prendeu hoje cedo três suspeitos da morte do padre Alvino Broering, 46 anos, assassinado no dia 14 de dezembro no estacionamento de um posto de gasolina situado na BR-101. Um dos suspeitos teria confessado o crime em depoimento à polícia. Ele tem 18 anos. Outro tem  a mesma idade e o terceiro tem 19 anos. Há um quarto cúmplice preso no município de Pomerode. Segundo o agente de polícia Luciano Miranda, que entrevistei há pouco na Guarujá, o assassino teria cometido o crime para roubar (latrocínio), porque passava por dificuldades financeiras.

No dia seguinte ao crime os suspeitos teriam utilizado o automóvel do padre – encontrado ontem, em Navegantes – para realizar compras no comércio da região, que eram pagas com o cartão de crédito do religioso. A polícia investigou o trio até ter certeza de que eles estavam envolvidos com o assassinato.

Os quatro estão neste momento prestando depoimento e serão indiciados nas próximas horas.

Segurança é o que importa

O post sobre o assassinato do padre Alvino Broering, na segunda-feira, em Itajaí, continua sendo o mais lido deste blog. Não tive a intenção de provocar polêmica. As informações que publiquei foram baseadas em conversas — off — com pessoas de lá, inclusive ligadas à segurança pública. Eu não afirmei que o padre foi assassinado por um garoto de programa, mas que essa era uma possibilidade investigada pela polícia. Este blogueiro, que conhecia o padre Alvino e seu trabalho junto à comunidade itajaiense, aguarda os resultados do trabalho policial. E repito o que já disse na resposta a um comentário: pouco importa a vida íntima do religioso, porque isso era problema dele. A insegurança pública é que nos importa, porque isso é problema nosso.

A morte do padre Alvino

A principal suspeita em Itajaí, admitida oficiosamente pela polícia, é de que o padre Alvino Broering, assassinado na madrugada de hoje, tenha sido vítima de um garoto de programa que queria roubá-lo. Isso só será confirmado ou desmentido a partir da prisão do assassino, prevista para as próximas horas.

Padre Alvino era queridíssimo na comunidade local, com forte atuação junto ao meio universitário, já que era capelão da Univali. Sua morte comoveu a cidade, por causa dos requintes de crueldade. Milhares de pessoas acompanharam o velório do corpo, na Igreja Matriz, onde ele celebrou centenas de missas ao longo de sua trajetória pastoral.

Ele foi sepultado hoje à tarde em Santo Amaro da Imperatriz, onde mora sua família.

Giuliani, o caixeiro-viajante

No Mais Barulho o Les Paul faz uma análise da vinda de Rudolph Giuliani a Florianópolis. E prova que a visita não foi mero acaso. Na verdade, Giuliani veio ao Brasil para vender seus serviços ao governo do Rio, de olho na Copa 2014, e passou em Santa Catarina para fazer a mesma coisa, por que não? É um caixeiro-viajante da segurança pública. [Acima, a chamada do G1 para a matéria que publica, sem informar o valor do escandaloso contrato].