Posts Tagged ‘Humor’

Boi-de-mamão não é a praia deles

maricotahehehehehehe

É da edição de ontem, mas nunca é tarde: um leitor já havia me alertado (Adriano) e outro leitor (Roberto) enviou um print screen da contracapa do DC. Confundir bernunça com maricota é de lascar, não é mesmo? Essa nem uma criança de cinco anos erraria…

Anúncios

Justo Veríssimo, com toda justiça

 

Sábado à noite, chuvinha lá fora, temperatura propícia para saborear um bom vinho, momento apropriado para revermos um clássico do humor brasileiro, protagonizado por Chico Anísio entre o final da década de 70 e início da década de 80.

Com vocês, o imbatível Justo Veríssimo, que simboliza muito bem a semana que se encerra.

Filosofia pura

 

Do filósofo brasileiro Millôr Fernandes, na Veja de 20 de dezembro de 2006:

– Quando viu o réu, o juiz teve uma pena tão grande que assinou a absolvição com ela.

Bandeira moderna

 

No balcão de um café da cidade, um velho militante de esquerda se lamenta:

– Cara, nós lutamos durante anos pelas liberdades democráticas, pelas eleições diretas e pela democracia plena. Se eu soubesse que nós íamos ver tantas nulidades triunfando…

– Perdemos nossas bandeiras – pondera outro velho companheiro, enquanto sorve seu capuccino.

– Mas eu me dedico a lutar por uma bandeira contemporânea – observa um terceiro. – E estou muito feliz, completa.

– Qual bandeira? – perguntam os outros dois.

– Estou me empenhando no combate à idiotice que se instalou nos diversos níveis de poder. É a grande bandeira de hoje em dia em Santa Catarina.

Perguntinha

 

Perguntinha que a Gi Severo mandou por e-mail:

— Quem morre de gripe suína vira espírito de porco?

Piada pronta

 tolentino

É verdade que a gente tenta levar esse governo a sério. Mas não dá. Há coisas desse governo que não resistem a uma boa piada. No caso da foto acima, a piada está no blog do Tolentino. Dá uma conferida lá, leitor.

O galo paraguaio

 

E o presidente do Paraguai, hem? Depois do primeiro filho, o segundo (ainda suposto). Se for verdade, o ex-bispo católico Fernando Lugo — que andava traçando as paroquianas — passa a ser conhecido por uma expressão muito típica aqui no nosso litoral: “Galo velho”. Galo mesmo.