Papo-cabeça com Leandro Mané Ferrari

“Precisamos organizar nossa estrutura náutica”

Matéria divulgada na mídia nacional no início da semana passada causou polêmica e indignação entre os florianopolitanos, por causa de afirmações exageradas a propósito da pretensa “riqueza” dos moradores da capital catarinense, como se Florianópolis fosse uma Beverly Hills encravada na América do Sul. Espalharam-se críticas e gozações pelas redes sociais, criou-se até um suposto movimento dos “sem-lancha”. Leandro Mané Ferrari, presidente da Acatmar (Associação Catarinense de Marinas), foi um dos entrevistados pelo O Globo. Ele lamenta a repercussão negativa que a matéria alcançou e reafirma o que destacou para o jornal: “Uma coisa é certa, o mundo náutico está crescendo e nossa cidade não está preparada”. Ferrari, o secretário de Desenvolvimento Urbano e Meio Ambiente de Florianópolis, engenheiro civil José Carlos Rauen, mais o secretário de Estado da Infraestrutura, deputado Valdir Cobalchini, visitaram este mês o segundo maior salão náutico do mundo, em Gênova, Itália, justamente em busca de parcerias que viabilizem projetos para desenvolver a estrutura náutica em Santa Catarina.

A matéria de O Globo causou polêmica e mal-estar, pela forma como foi apresentada. Você entende que o foco da matéria está correto?

O único objetivo nessa matéria foi mostrar nossa luta constante para transformar Santa Catarina em um Estado de frente para o mar. Somos (a Ilha de Santa Catarina) uma ilha banhada de água por todos os lados e não sabemos aproveitar de forma qualitativa esse recurso. Nossas baías são poluídas, consequentemente nossas praias, e isso só tende a agravar se não cuidarmos do crescimento desordenado. Uma coisa é certa, o mundo náutico está crescendo e nossa cidade não está preparada, por isso precisamos urgentemente organizar e qualificar toda a estrutura náutica para que não tenhamos problemas no futuro. A cidade precisa se desenvolver e isso não podemos impedir. No setor náutico precisamos estruturar as marinas privadas e públicas, o transporte marítimo integrado a outros modais. Isso trará mais qualidade de vida à comunidade, ao turismo e, em consequência, a geração de empregos diretos e indiretos agregados ao setor.

Ter lancha é uma questão de status/riqueza? Ou isso é um preconceito?

Já foi sim. Mas neste aspecto o setor evoluiu muito e lancha passou a ser um investimento de lazer para toda a família, e muitas vezes é conquistada com muito sacrifício. Qualquer embarcação – grande ou pequena e com propulsão a motor – é um barco, e vai te dar o mesmo prazer de usufruir das nossas águas, além de ser um dos equipamentos que mais unem as famílias.

Por que a questão náutica é tão evoluída em Balneário Camboriú e na Grande Florianópolis não é?

Por questões culturais. Quando todos os setores – digo político, empresarial – lutam pelos mesmos objetivos cria-se na sociedade civil uma estrutura organizada e de qualidade como gostaríamos que acontecesse aqui.

Biguaçu pode ser nossa Balneário Camboriú, ou seja, um novo polo náutico do Estado?

Biguaçu e Florianópolis têm todas as condições possíveis para serem os maiores polos náuticos do Estado. Temos rios e baías que não encontramos em qualquer lugar do mundo, basta querer fazer. E, como somos a cidade do “nada pode”, Balneário está anos luz à frente.

E o transporte marítimo regional, como a Acatmar está acompanhando?

A Acatmar tem se empenhado totalmente na implantação do transporte marítimo, inclusive ajudando tecnicamente na implantação no município de Palhoça. Temos conversado com os candidatos a prefeito de Florianópolis, os prefeitos de Biguaçu e São José, pois o transporte só será viável com a participação de todos esses municípios – e interligados a outro meio de transporte urbano –, caso contrário o projeto vai por água abaixo.

Prevenção

Neste sábado (20) começa a campanha de conscientização contra o AVC. Para prevenir a principal causa de mortes no Brasil, haverá mobilização em todo o país. Em Santa Catarina, estão programadas atividades em Florianópolis e Joinville. Na capital serão distribuídos panfletos e ocorrerá medição de pressão arterial e glicemia no Supermercado Hippo.

Lobato vive

No momento em que os patrulheiros de plantão tentam vetar as obras de Monteiro Lobato, num processo inquisitorial sem precedentes no Brasil, a prefeitura de Palhoça anuncia: vai utilizar o universo mágico do grande autor durante o Natal Reluz, entre 2 e 16 de dezembro. O espetáculo pré-natalino, que ocorre desde 2005, já virou atração turística regional na área central da cidade.

Construfest

Cerca de 1.600 pessoas são esperadas neste sábado (20) na 5ª Construfest, evento promovido pelo Sindicato da Indústria da Construção Civil (Sinduscon) da Grande Florianópolis e Serviço Social da Indústria da Construção (Seconci) para os trabalhadores do setor e seus familiares. Os funcionários das empresas associadas ao Seconci terão um dia com atividades no Sesi de São José, a partir das 9h.

Realidade

“R$ 670 mil reais por um apartamento de dois quartos em Brasília. Depois falam que Floripa é careira. Com R$ 670 mil é possível comprar dois apartamentos de dois quartos em Floripa e sobra $$. Além do que, temos praias, nossa cidade é lindíssima”. Constatação da empresária Ada Heilmann, que atua com consultoria imobiliária em Florianópolis.

Amigo cão

A Feira de Adoção de Animais realizada mensalmente no Floripa Shopping conta mais uma vez com a presença do fotógrafo Geremia, que estará no local registrando a cumplicidade entre os donos e seus bichos de estimação. Em troca, o visitante pode doar 1 kg de ração ou um vale castração para ajudar os animais resgatados pela ONG Pata, organizadora do evento. A feira acontece no Estacionamento G1, das 10h às 17h deste sábado (20), com entrada gratuita.

Raízes

A comunidade de Löffelscheidt, em Águas Mornas, revive neste domingo (21), a partir das 9h, nas dependências da igreja católica, as tradições trazidas pelos imigrantes alemães, em especial pelos oriundos da região do Hunsrück. O evento pretende valorizar cultura dos imigrantes do Hunsrück, com destaque para o dialeto específico. Haverá culto e apresentações folclóricas.

Mostra

Sessenta e sete apresentações neste sábado (20) e 59 neste domingo (21) marcam o encerramento da Mostra de Dança Infantil A Noite é Uma Criança, aberta na quinta-feira (18), com o Grupo de Dança COC Córrego Grande (foto).

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: