O problema da proporcionalidade nas câmaras

Está criada em Santa Catarina, por conta de questões locais, uma das mais impressionantes injustiças políticas de todos os tempos. Câmaras municipais cedem à pressão de grupos específicos, geralmente associações empresariais, e deixam de aumentar o número de vereadores – permitido por lei e sem necessariamente gerar mais despesas -, causando uma desproporcionalidade democrática sem precedentes. Exemplo: Florianópolis ignorou o lobby corporativista e aumentou o número de representantes. São José não resistiu às pressões e manteve o número. Confira mais sobre esse assunto na minha coluna desta sexta, 10 de fevereiro de 2012. Veja AQUI a comparação que faço entre São José, 210 mil habitantes, e São Pedro de Alcântara, 4 mil habitantes.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: