Diálogos Com a Cidade – Ricardo Medeiros

Pesquisas. Professor e jornalista Ricardo Medeiros: legado cultural em TCC’s

DIÁLOGOS COM A CIDADE

O jornalista Ricardo Medeiros é um pesquisador e professor incansável na defesa da cultura local e regional. Lecionando na Faculdade Estácio de Sá, curso de Jornalismo, desde 2005, ele e outros colegas têm estimulado os alunos à produção de TCC’s (Trabalhos de Conclusão de Curso) que resgatam importantes personagens e situações relacionadas à comunicação e às atividades culturais. O conjunto de TCC’s, produzido por uma novíssima geração de jornalistas, representa um painel importante para a preservação de nossa memória. Dialogamos com Ricardo Medeiros sobre essa trajetória. Confira:

Notícias do Dia – Como surgiu a ideia de estimular alunos a pesquisas sobre nossa cultura e comunicação?

Ricardo Medeiros – Vivemos num país de história oral. Mas a maioria esquece que somos efêmeros. Precisamos cada vez mais de documentos escritos, relatos em áudio ou em vídeo sobre o comportamento, tradições e cotidiano de nossa gente.

ND Por que a Estácio dá esse exemplo, privilegiando TCC’s sobre temas locais?

Ricardo – A Coordenação do Curso de Jornalismo e os professores fizeram um pacto: o de valorizar o que está perto da gente.

ND – Quantos TCC’s desse tipo já foram apresentados?

Ricardo – Nos últimos cinco anos, mais de 20 trabalhos.

ND – Esses trabalhos ficam disponíveis para pesquisas? Vão para web?

Ricardo – Pela internet, duas frentes dão apoio na divulgação dos trabalhos: a Associação Catarinense de Emissoras de Rádio e Televisão (Acaert) e o site Caros Ouvintes.

ND – Você nota que os alunos se empolgam com os trabalhos? Nesta semana (dia 10) haverá apresentação de um TCC sobre Beto Stodieck. Que outros você destaca como relevantes?

Ricardo – Eu só aceito ser orientador de alunos que se apaixonam pelo tema que será desenvolvido. Em rádio, destaco os trabalhos a respeito da Protegidos da Princesa, Teatro Adolpho Mello, Curió e as trajetórias do jornalista Manoel de Menezes e do radialista Souza Miranda. Em vídeo, vale citar os TCC’s sobre a Nega Tide (co-orientação), Nego Quirido e a Embaixada Copa Lord.

ND – Além de lecionar, você também tem várias obras de referência sobre a comunicação. Quais são essas obras?

Ricardo – Dramas no Rádio: A Radionovela em Florianópolis nas Décadas de 50 e 60; História do Rádio em Santa Catarina; Zininho – Uma canção para Florianópolis; Caros Ouvintes: os 60 anos do rádio em Florianópolis; CBN Diário: Uma Luz no Apagão; O que é Radioteatro; No Tempo da Sessão das Moças.

Mostra Releitura 2010

Será aberta nesta segunda-feira, com obras de 16 artistas, a mostra Releitura 2010, do Espaço Cultural Celso Ramos – BRDE. A exposição, que conta com obras de Rodrigo de Haro (foto), vai até dia 30. Tem mais: o prazo de inscrições para o calendário 2011 foi ampliado até dia 10 deste mês.

Lei Seca

Revelação interessante do inspetor Leandro Andrade, da Polícia Rodoviária Federal: a aplicação da Lei Seca nas estradas resultou na prisão de 600 pessoas este ano em Santa Catarina. A imensa maioria constituída por homens jovens, a maior parte nos fins de semana, geralmente entre 18h e meia-noite.

Mil e uma noites

Apreciadores da culinária árabe têm oportunidade, neste sábado, de desgustar uma das especialidades da cozinha sírio-libanesa: o médico Jorge Cherem serve, a partir das 19h, na ACM (Associação Catarinense de Medicina), a Quibada do Cherem. A noite árabe terá ainda show de dança e bebidas típicas.

Bangue-bangue

O bairro Santa Mônica, que já foi um dos mais tranquilos e agradáveis de Florianópolis, virou cenário de bangue-bangue. Não tem uma semana em que não sejam registrados assaltos e reações com tiroteios. Só na semana que termina foram dois casos. Sem falar na Trindade, de modo geral, que vive situação semelhante.

Oremos

Moradores do Sul da Ilha, outra região pacífica de Florianópolis, também reclamam da frequência de assaltos e furtos. O Ribeirão da Ilha, paraíso ambiental e histórico da ilha, é um dos locais favoritos para ataques dos bandidos. E isso que a temporada nem começou. A sensação é de que não temos mais governo. Há muito tempo.

Prestigiado

Embora afastado formalmente da vida acadêmica, Diomário de Queiroz continua dedicado a atividades universitárias. Despedindo-se dos quadros do governo catarinense, o ex-reitor da UFSC está integrando duas bancas de doutorado na França. Depois, em companhia da esposa, Rosa, segue para a Itália.

Não vai…

Lideranças comunitárias e vereadores de Palhoça querem audiência pública para discutir a instalação da nova penitenciária estadual no município, como quer o governo do Estado. Na verdade, município nenhum quer. A população de São Pedro de Alcântara não engole, até hoje, a construção da penitenciária em seu território. Implantação foi na marra, com a conivência do prefeito da época.

…ser fácil

Aparentemente, o prefeito Ronério Heiderscheidt está rejeitando a ideia da penitenciária no município, porque a imensa área no Morro dos Cavalos já teria sido projetada para abrigar mais um parque empresarial da cidade, com capacidade para 20 empresas e 4 mil empregos.

Questões

E as perguntas que não querem calar, sobre a penitenciária que o governo pretende construir em Palhoça: já fizeram Estudo de Impacto de Vizinhança? Existe Licença Ambiental Prévia? Lembrando que a área escolhida integra o Parque Estadual da Serra do Tabuleiro…

Bicicultura

Registrei um equívoco na coluna de sexta, ao dizer que a Bicicleta na Rua é uma ONG. Não é. A ONG é a Viaciclo. Uma pá de ciclistas catarinenses foi a Sorocaba (SP) participar do Bicicultura, evento que discute projetos e ideias para promover a bicicleta.

Plano diretor

Fabiano Faga, que edita o blog Bicicleta na Rua observa: “Enquanto em Florianópolis ainda não temos um Plano Diretor revisado, aqui (Sorocaba) eles já possuem até um Plano Diretor de Ciclovias! Isto tudo com integração entre as diversas secretarias. Ainda tem muita coisa a ser melhorada, mas também bastante coisa já foi feita”.

Astral

Que bacana ver, na sexta-feira, as bandeiras de Avaí e Figueirense hasteadas na entrada da cidade, numa iniciativa da prefeitura. Futebol catarinense nunca viveu um astral tão elevado como este, de agora, com ótimas perspectivas para 2011.

Anúncios

3 responses to this post.

  1. Posted by PAULO STODIECK on 04/12/2010 at 9:31

    Damião, a apresentação do trabalho “Nas páginas de Beto Stodieck – caricaturista dos momentos e personagens”, dos formandos Camila Stuart e Fernando Guedert está marcada para o dia 8 de dezembro de 2010, às 21h, e não no dia 10 como informado na coluna. Abraço – Paulo

    Resposta

  2. O Ricardo Medeiros foi meu professor na graduação e também pude ler suas obras fruto de pesquisa e conhecimento profissional. Sem dúvida um profissional que teve muita experiência dividida com seus alunos.
    Abraços,
    Samira

    Resposta

  3. […] This post was mentioned on Twitter by Bicicleta na Rua, Carlos Damiao. Carlos Damiao said: 3. … é o entrevistado no Diálogos com a Cidade desta semana. Vale a pena ler o bate-papo com ele. Aqui http://bit.ly/fEj8Xf […]

    Resposta

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: