Rodoviária: foco na gestão

Os estudos para privatização do Terminal Rodoviário Rita Maria não são recentes. Ganharam força este ano, depois que Leonel Pavan assumiu o governo no lugar de Luiz Henrique da Silveira. E só não foram adiante porque o edital, da forma como foi elaborado, favoreceria uma empresa paulista. Como ficou tarde demais para desencadear um novo processo, deixaram o assunto de lado, mas providenciaram a oportuna “desqualificação física” da rodoviária para abrir caminho à ideia. O Estado tem que parar com essa mania de livrar-se dos problemas, entregando-os à iniciativa privada. Por que o setor público não pode ser competente? A questão é uma só: foco na gestão, com baixo custo e eficiência.

Expectativa

Centro Integrado de Cultura, Biblioteca Pública do Estado, Terminal Rodoviário Rita Maria, são apenas três, entre tantos equipamentos governamentais, que precisam de atenção urgente do poder público. Nas ruas, as pessoas contam os dias e as horas para a posse do novo governador, Raimundo Colombo. Falta pouco.

Queixas

Alguns leitores acham que a função desta coluna é apenas criticar ou desconfiar de tudo quanto diga respeito a ações do poder público. Houve gente que, insatisfeita com o que escrevemos sobre o aumento do número de vereadores em Florianópolis, gostaria que malhássemos a Câmara. Não é o caso.

Qualidade

Como já dissemos aqui, a quantidade maior de vereadores não significará aumento da dotação orçamentária, porque a Constituição não permite. Mas há um aspecto que precisa ser destacado: o número maior de representantes exige mais qualidade da representação, mais empenho dos parlamentares. É fato.

Frase

“A lei do silêncio existe, mas, tratada com total indiferença, pois a autoridade responsável faz ouvidos de mercador”. De Paulo Stodieck, comentando nota que publicamos ontem, sobre a zoeira que invade a Beira-mar em comemorações esportivas.

 

Secretária da Educação de São José, Rosa Maria da Silva Schmidt, com uma formanda do Proerd

Belo caminho

Depois dos episódios no Rio de Janeiro, que nos remetem à reflexão sobre o problema das drogas no Brasil, cabe uma moção de aplauso ao belíssimo trabalho realizado pelo Proerd (Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência). Ainda que não resolva a questão, ajuda muito a conscientizar a juventude. São José e São Pedro de Alcântara formaram, na terça-feira, 2.338 estudantes que participaram desse programa.

Cestão

Uma grande rede de varejo está realizando uma promoção impressionante, também conhecida como “cestão”: ao comprar dois DVDs de uma mesma distribuidora (Fox Filmes), o consumidor paga apenas um – ao custo de R$ 12,99. Em suma, cada DVD sai por R$ 6,50. Os piratas vendem filmes a R$ 10 cada, com qualidade sofrível e cometendo inúmeras ilegalidades.

Ética pública

O Instituto Federal de Santa Catarina (antiga Escola Técnica), promoverá neste dia 6, a partir das 8h30, o 1º Seminário de Ética Pública – Os Desafios da Educação e do Serviço Público no Século 21. Este colunista participará do evento no painel Ética na Administração Pública, juntamente com a deputada estadual eleita Angela Albino (PCdoB) e o vereador João Amin (PP).

Mestres

A professora Lélia Pereira da Silva Nunes acrescenta ao que relacionou o também professor Milton Valente sobre mestres que não podem ser esquecidos: “Samuel Fonseca, Paulo Fernando Lago, Sílvio Coelho dos Santos, Victor Márcio Konder e Osni de Medeiros Regis, a quem sou devedora da minha caminhada como estudiosa da Sociologia da Cultura por terras de Santa Catarina”.

Nomeações

Os representantes da indústria da construção civil da Grande Florianópolis estão apreensivos com as nomeações para a presidência da Casan e Celesc. O dirigente do Sinduscon, Helio Bairros, defende a adoção de critérios que privilegiem a formação técnica e o compromisso com o desenvolvimento, em detrimento de indicações políticas em ambas as empresas.

Emoções

Temporada pré-natalina inspira apresentações culturais que despertam emoções. Os shoppings, como o Floripa, capricham nesta época do ano. Na imagem, adolescentes do Coral de Libras do Colégio Adventista durante uma dessas performances, que prosseguem até o fim do ano.

Profissionalização

Enfim, e graças à iniciativa privada, Florianópolis terá um posto de informações turísticas com características modernas e adequadas à importância da cidade. Será no antigo prédio da Polícia Militar Rodoviária, na SC-401. Quem está assumindo a responsabilidade é a Acif (Associação Comercial e Industrial de Florianópolis), que vai revitalizar o espaço para viabilizar as atividades. Começará a funcionar no dia 20 e ficará aberto o ano inteiro.

Tartaruga

Tem gente que empata o trânsito e não dá a mínima para os outros. Ontem, o empresário Jorge Alberto Pereira Oliveira trafegava na Gaspar Dutra, Estreito, mas não conseguia avançar, por causa do Gol placas HGS (final 16). Ao ultrapassar a “tartaruga”, percebeu por que o motorista ia tão devagar: falava ao celular, fumava e dirigia ao mesmo tempo.

Observatório

Florianópolis ganhará hoje o seu Observatório Social, uma entidade não-governamental e apartidária, que tem por finalidade a fiscalização da gestão de recursos e de serviços públicos, mediante monitoramento das contas e ações de órgãos públicos. O diretor do Instituto Observatório Social do Brasil, Sir Carvalho, participará da instalação e falará às 20h, na Assembleia Legislativa, sobre os objetivos da entidade.

Insólito

Cena no mínimo insólita – e desrespeitosa – ontem à noite, no Palácio Cruz e Sousa: ao mesmo tempo em que familiares e amigos velavam o corpo do professor Carlos Humberto Pederneiras Corrêa, era realizado um evento festivo no mesmo prédio. O velório era para ter sido realizado durante o dia, mas a burocracia do Estado brasileiro impediu a liberação do corpo em tempo.

Tranqueira

Profissionais de saúde, visitantes e pacientes do Hospital de Caridade continuam sofrendo com os problemas de acesso ao bicentenário estabelecimento, nos altos da Rua Menino Deus. O problema é relacionado ao tráfego local, prejudicado nas últimas semanas pela promoção de um posto de combustíveis. Estamos entregues à própria sorte.

Anúncios

5 responses to this post.

  1. Posted by Bernardo Torres on 02/12/2010 at 8:58

    Pois é, a população tem que parar de ser inocente e achar que há uma grande preocupação com a nossa gente ao fazer barulho sobre uma possível interdição da rodoviária pela Defesa Civil. É responsabilidade do poder público fazer obras de manutenção, prover segurança. Isso não é desculpa para privatizar. É como se o filho começasse a fazer baderna pela cidade, o pai omisso dissesse: “vou entregar pra polícia” e passasse como herói…

    Resposta

  2. […] 2/12/10 » Compartilhe este link no Twitter Da coluna Ponto Final, por Carlos Damião (ND, […]

    Resposta

  3. […] social 2/12/10 » Compartilhe este link no Twitter Da coluna Ponto Final, por Carlos Damião (ND, […]

    Resposta

  4. […] 2/12/10 » Compartilhe este link no Twitter Da coluna Ponto Final, por Carlos Damião (ND, […]

    Resposta

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: