Os velhos problemas da Rita Maria

Que o Terminal Rodoviário Rita Maria tem sido um dos piores exemplos de manutenção de prédios públicos em Santa Catarina não é novidade para ninguém. A única novidade é que, com relativo estardalhaço, a prefeitura da Capital chama atenção para os problemas que a rodoviária apresenta em sua estrutura, entre os quais as históricas goteiras que alagam o chão, quando chove, há pelo menos uma década. É justo que as autoridades se preocupem, principalmente porque aquele espaço perdeu muito de sua qualidade nos últimos anos. A revitalização, que vem sendo conduzida há mais de um ano, tem exatamente esse objetivo: evitar o pior.

Por pouco

Um informante desta coluna garante que o Terminal Rodoviário Rita Maria quase foi privatizado há alguns meses. O processo de licitação chegou a ser preparado, mas foi suspenso. A rodoviária seria entregue para uma empresa de estacionamentos, de São Paulo, que passaria a explorar seus serviços, inclusive a locação de espaços, realizando em troca os trabalhos de recuperação e manutenção das áreas mais comprometidas.

Insegurança

Convém lembrar que o Notícias do Dia, em inúmeras ocasiões, publicou reportagens sobre o estado de abandono do Terminal Rodoviário Rita Maria, inclusive as gravíssimas questões envolvendo a falta de segurança dos usuários – não apenas no interior, como no seu entorno. Tomara que o poder público esteja atento também a esse problema.

Mais inteligente

Operários da prefeitura trabalharam ontem em frente ao antigo prédio da Câmara Municipal (foto), para recuar os tapumes que, há meses, impediam a passagem dos pedestres. Agora sim, os pedestres ganharam espaço e a Zona Azul recuperou pelo menos cinco vagas de estacionamento. Pode-se dizer que a modificação foi uma medida inteligente.

Vereadores

O aumento do número de vereadores em Florianópolis, de 16 para 23, foi confirmado pelos parlamentares Gean Loureiro (PMDB) e João Amin (PP), na semana passada, no Papo de Redação (Guarujá) e em nota publicada nesta coluna. Na sessão da noite de segunda-feira a Câmara simplesmente respaldou o que já estava acertado entre os vereadores.

Qualidade

É bom ressaltar que o aumento do número de vereadores não representará impacto para os gastos públicos. O orçamento da Câmara permanecerá inalterado, ou seja, terá que ser adequado ao número de representantes, sem direito a choro. Tomara que o aumento da representação signifique, na prática, mais qualidade para os trabalhos do Legislativo municipal.

Decibéis

Moradores da Avenida Beira-mar e vias próximas não têm nada contra Avaí e Figueirense na série A. Mas duas comemorações consecutivas, no sábado e domingo, infernizaram a vida e tiraram o sono de muita gente, em especial as pessoas que não dispõem de vidros acústicos nas janelas de seus apartamentos.

Paradoxo

O mais intrigante, na história da lei do silêncio em Florianópolis, é que bares, boates, restaurantes e quadras de escolas de samba são submetidos aos rigores da legislação. Mas as comemorações esportivas e políticas, que ultrapassam qualquer norma de controle sobre decibéis, se estendem até o amanhecer – e não aparece ninguém para defender a cidadania contra os excessos.

Pendências

O ano novo se aproxima e inúmeros problemas da Grande Florianópolis continuam se arrastando. A conclusão da SC-407, por exemplo, entre São José e São Pedro de Alcântara. Também a alça de contorno da BR-101, que segue sendo apenas um projeto. Sem falar na inacabada Ponte Hercílio Luz e no transporte marítimo, por enquanto possível apenas em Palhoça.

Parque da Luz

O Parque da Luz vai ganhar revitalização completa. Uma reunião realizada ontem definiu a participação de órgãos públicos, iniciativa privada e da Associação FloripAmanhã. O espaço vai ser recuperado, receberá melhorias e terá sua manutenção garantida.

De graça

Quem, em vida, em Florianópolis, for doador de órgãos, não deixará para familiares nenhuma despesa de sepultamento. É o que propõe projeto de lei aprovado esta semana pela Câmara, de autoria do vereador Jaime Tonello (DEM).

Segundo plano

O pedestre é sempre secundário em Florianópolis, mesmo quando os espaços públicos lhe são reservados, como é o caso da Rua Padre Miguelinho, um calçadão. O papa-entulho não poderia realizar seu trabalho à noite ou ao amanhecer? Mas quem fiscaliza esse tipo de transgressão?

Criminalidade

Os episódios do Rio de Janeiro estão servindo para inúmeras reflexões e debates, em Santa Catarina, sobre o combate ao tráfico de drogas e à violência. Assunto repercutiu, por exemplo, na Câmara de Vereadores de São José, na sessão da última segunda-feira. Parlamentares estão preocupados com os alarmantes índices da criminalidade no município.

Perigo

O Bope (Batalhão de Operações Policiais Especiais) realiza na Grande Florianópolis um trabalho preventivo e de monitoramento nas áreas mais críticas, mais suscetíveis a ações do crime organizado. Mas, segundo advertiu o capitão Julival Queiroz de Santana, no Papo de Redação (Guarujá), ontem, o crescimento das ocupações irregulares pode colocar a região metropolitana numa situação de risco.

Sede melhor

Segundo o capitão Julival Queiroz de Santana, que já atuou no Bope do Rio de Janeiro e na Força Nacional de Segurança, o batalhão catarinense precisa de melhor infraestrutura e também de sua realocação. Atualmente, a sede do Bope estadual fica em São José. “O ideal seria que o Bope se localizasse na Ilha de Santa Catarina, próximo das sedes dos poderes”, disse o capitão.

Magia

Ao que tudo indica, o astral de fim de ano na capital catarinense será muito diferente este ano, se comparado ao de 2009. A iluminação de Natal ganhará vida amanhã, às 20h, em ato oficial no Largo da Catedral. Uma das grandes atrações será o pinheiro da Praça 15, que volta a ser decorado com lâmpadas coloridas. Outro destaque ficará por conta do túnel de luzes, formado por milhares de microlâmpadas.

Polêmica

Em São José, a decoração de Natal foi tema de discussões na Câmara de Vereadores, na sessão de segunda-feira. Tudo porque a prefeitura estaria realizando a licitação depois que a decoração foi quase toda implantada. Mas a prefeitura esclareceu ontem: a concorrência refere-se a alguns detalhes da Casa do Papai Noel e aos eventos programados para 17 e 18 deste mês.

Anúncios

2 responses to this post.

  1. Posted by PAULO STODIECK on 01/12/2010 at 7:37

    Damião, a lei do silêncio existe, mas, tratada com total indeferença, pois a autoridade responsável faz ouvido de mercador…

    Resposta

  2. […] Parque da Luz 1/12/10 » Compartilhe este link no Twitter Da coluna de Carlos Damião (ND, […]

    Resposta

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: