Florianópolis é terra de ninguém

A Câmara de Florianópolis gasta toneladas de papel, consome o tempo dos servidores e dos vereadores, energia elétrica, telefones, para discutir uma lei sobre horários dos ensaios das escolas de samba. Aí um gaiato chapado coloca um aparelho de som na janela de sua casa, no Morro do Tico-tico, passa a madrugada de sábado e domingo amplificando músicas da pior qualidade… e ninguém faz nada, porque aqui as leis são criadas só para bonito.

Este colunista tem certeza que metade dos moradores da região central de Florianópolis não conseguiu dormir, por conta da barulheira infernal produzida pelo cretino, que se prolongou para além das 8h da manhã de domingo.

Um lado e…

Como era esperado, a entrevista com Ernesto São Thiago, publicada nesta coluna, na edição do fim de semana, causou a ira dos leitores que não simpatizam com as ideias e a forma de atuação do empresário em questão. Certamente eu não ansiava por outra reação, até pela forma sempre polêmica com que Ernesto se pronunciou, em favor do estaleiro da OSX em Biguaçu, tanto em artigos e entrevistas, quanto no seu twitter.

…o outro lado

O que precisa ficar evidente, no entanto, é que esta coluna sempre abriu espaço para as duas partes, como convém ao bom jornalismo. E continuará discutindo a questão ambiental e econômica que envolve as atividades náuticas na Grande Florianópolis com os principais envolvidos. Aguardem.

A causa

Por onde passa, o prefeito Dário Berger ouve invariavelmente a mesma pergunta: “Quando é que o senhor vai reabrir a Avenida Paulo Fontes”. Não são poucos os que acreditam que metade dos nossos problemas de mobilidade derivam do fechamento da Paulo Fontes.

Cidadania agredida

Motoristas que passaram pelo pedágio de Palhoça, no sábado, ficaram indignados: filas imensas nos dois sentidos e menos guichês abertos do que o necessário para atender os usuários da BR-101 – eram quatro abertos e cinco fechados. Além de pagar o que não deveria pagar, a cidadania ainda é maltratada dessa forma!

Doutor

O ex-governador Esperidião Amin, que se elegeu deputado federal este ano, vai defender sua tese de doutorado amanhã, às 17h, no prédio do INE (Departamento de Informática e Estatística) da UFSC (Universidade Federal de Santa Catarina).

Doar não dói

Esta é a Semana do Doador de Sangue, promovida em Santa Catarina pelo Hemosc. O Hemocentro de Florianópolis fica na Avenida Gama d’Eça, fone 3251-9711. Vamos lá, fazer a nossa parte? Doar não dói.

Mérito cultural

Caderno Plural do Notícias do Dia, Associação Coral de Florianópolis, Berenice Gorini, Grupo Armação, João Paulo Silveira de Souza, Liselott Trinks (in memorian), Rute Ferreira Gebler, Sociedade Dramático Musical Carlos Gomes, Sociedade Harmonia Lyra e Victor Antônio Peluso Júnior (in memorian), são os homenageados de 2010 com a Medalha do Mérito Cultural Cruz e Sousa. Cerimônia será nesta quarta-feira, às 20h, no Teatro Álvaro de Carvalho.

Polêmica

Seguem as manifestações contra a Zona Azul nas praias. Uma leitora que não pode se identificar assinala: “Vergonha. Como se tivéssemos tanto dinheiro sobrando para ajudar ainda mais os cofres públicos a engordarem e não reverterem praticamente nada para a população! Já tinha escutado que nosso prefeito tinha ‘largado’ a cidade de mão, mas não imaginava que fosse tanto”.

Emperrado

Por incrível que pareça, são as exigências municipais que mais emperram a formalização de micro e pequenas empresas no país. Hoje é possível criar uma empresa instantaneamente e sem custos no Portal do Empreendedor, mas falta ‘combinar com os russos’.

* * *

Muitos prefeitos, afirma o consultor do Sebrae nacional, André Spínola, enchem os municípios de leis que se sobrepõem à Lei Geral e só prejudicam quem quer trabalhar por conta. O comércio é um dos segmentos mais afetados com esse catatau de obrigações que afronta a lei nacional.

Descuido

Moradora aponta o descuido geral na Lagoa da Conceição, causado pela própria população local, porque quase ninguém tem local apropriado para deixar o lixo – há sacos e sacolinhas de supermercado espalhados pelas ruas, facilitando o ataque dos cachorros, que sempre espalham tudo pelas vias públicas.

Atentado

Diz a moradora: “Resumindo, nossa lagoa formosa está cada dia mais feia, com casas e prédios tomando conta do verde e das áreas mais arborizadas, buracos nas ruas e calçadas, sem falar da falta de ciclovia que vejo como um crime, um atentado à população que gostaria de manter a qualidade de vida que nos foi dada pela natureza”, observa.

Santa Cecília, 60 anos

Se há algo legitimamente florianopolitano para se curtir nesta segunda-feira, esse algo é o Concerto do 60º Aniversário do Coral Santa Cecília da Catedral, a partir das 20h30, no principal templo católico da Capital. Músicas sacras, eruditas e populares compõem o programa, em duas partes, com a regência do padre Ney Brasil Pereira, que está nessa função há 37 anos.

* * *

Quem acompanha o concerto é a Orquestra Camerata Florianópolis, regida pelo maestro Jeferson Della Rocca.

Bom transporte…

Sérgio Luiz da Silva enviou correspondência à coluna que, de tão longa, preencheria esta página durante uns três dias. Objetivamente: ele diz que o poder público não estimula o transporte coletivo de maneira moderna e eficaz. Cita o caso da Itália, país onde esteve há poucos dias: ao invés de um cartão fixo (pessoal), o usuário pode comprar cartões em qualquer banca de revistas. Sérgio não entende como soluções tão simples não são implantadas. E acrescenta.

… coletivo? Mofas!

Outro grave problema apontado por Sérgio Luiz da Silva: “Dirija-se para uma das paradas (pontos) e tente descobrir quais linhas de ônibus passam naquele lugar; qual o itinerário que percorrem e quais horários são programados… Mofas!”.

Círculo da Leitura

Esta semana assinala o último Círculo da Leitura deste ano, na Universidade Federal de Santa Catarina. O convidado é o historiador e jornalista Celso Martins, incansável pesquisador do Contestado e da cultura catarinense de modo geral. A reunião – 55ª do evento criado pelo poeta Alcides Buss – acontecerá na Biblioteca Universitária, a partir das 18h desta quinta-feira.

Anúncios

3 responses to this post.

  1. Meus pais se mudaram para o bairro Itaguaçu em junho de 1998. Assim que chegamos, recebemos uma multa, pq a cestinha da nossa lixeira ficava apoiada num pedestal, na calçada, e não poderia. Deveria ficar dentro do terreno, e o lixeiro puxaria a cestinha para fora. Pois bem, não sei de quem foi a ideia, mas eu achei ótima. Não sei se é lei, ou se foi a própria comunidade ou associação de moradores que exigiu. Só sei que funcionou. Tentamos argumentar que havíamos acabado de chegar, e não teve choradeira. Pagamos e pronto. Se a lei for cumprida, tudo se resolve. Se a população ajudar um pouquinho, não haverá lixo na ruas. Cada um tem que olhar mais para o seu umbigo e parar de reclamar do poder público.

    Responder

  2. Posted by Leandro on 22/11/2010 at 19:36

    Aqui na Lagoa tá cheio de imbecil que liga o som do carro na última altura, e isso no meio da madrugada. A polícia não resolve isso?

    Responder

  3. Posted by Leandro on 22/11/2010 at 19:54

    Falando em terra sem lei, veja só esta notícia:
    http://www.in-vestindo.com/2010/11/aonde-vamos-parar.html

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: