Coluna do fim de semana (6 e 7/11/10)

PAIXÃO. O guerreiro Edy Leopoldo Tremel, no Senadinho (Ponto Chic)

Diálogos com a cidade

O Notícias do Dia começa neste fim de semana uma nova fase editorial e gráfica. Acompanhando esta mudança, apresentamos a partir desta edição uma série intitulada “Diálogos com a Cidade”, ouvindo alguns personagens de Florianópolis e região sobre como percebem nossas cidades.

* * *

Travamos o primeiro diálogo com Edy Leopoldo Tremel, 82 anos, advogado, presidente do Senadinho e da Associação Amigos da Cidade, além de membro da Academia Catarinense de Letras.

Notícias do Dia – O que é o Senadinho?

Edy Leopoldo Tremel – É a tradição da cidade, o bom papo de uma geração inesquecível. Deixar de passar por aqui é como ir a Roma e não ver o papa.

ND – Onde fica exatamente?

Edy – O Senadinho é o Centro. Começou no Ponto Chic, mas hoje inclui o café do Bob’s e outros pontos de encontro.

ND – Quanto tempo de Senadinho?

Edy – Trinta e um anos. Primeiro diploma de “Senador” foi concedido ao presidente João Figueiredo, no dia da Novembrada (30 de novembro de 1979).

ND – O que aconteceu com Florianópolis nos últimos anos?

Edy – A cidade mudou muito, cresceu demais, perdeu seus valores. O que poderia ser um atrativo, o centro histórico, foi praticamente todo destruído.

ND – O que pode ser feito?

Edy – Nós vamos continuar nossa luta, para valorizar nossas tradições. Não vamos deixar o Senadinho morrer e, por isso, criamos há 15 meses a Associação Amigos da Cidade. É esse o seu objetivo.

Dimensão

Temporada conturbada não é novidade em Florianópolis. Para se ter ideia, no dia 27 de dezembro de 2009 a Comcap recolheu 957 toneladas de lixo na cidade. Como cada quilo é equivalente à produção de uma pessoa, a prefeitura estima que naquele dia a Capital contava com 957 mil pessoas em seu território – mais que o dobro da população normal (410 mil). Tudo indica que o fim deste ano não vai ser diferente.

Multa

Atendendo a reclamações da comunidade, a prefeitura multou a empresa responsável pela demolição na Rua Nereu Ramos, por causa do excesso de poeira. Na verdade, segundo esclareceu à coluna o secretário do Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano, José Carlos Rauen, houve falta de cuidados na remoção dos entulhos do antigo Edifício Mussi.

Drama

Amigos e colaboradores mais próximos estão preocupados e solidários com Dário Berger, por conta de um drama pessoal vivido pelo prefeito, envolvendo seu filho. Dário chegou a cancelar a agenda, na sexta-feira, para acompanhar de perto o atendimento médico.

Homenagem

Assembleia Legislativa vai outorgar no dia 22 deste mês ao professor Luis Carlos Cancellier de Olivo a Comenda do Legislativo Catarinense, em reconhecimento à sua contribuição ao ensino jurídico. A indicação foi feita pelo deputado estadual Genésio Goulart (PMDB). Cao, como é conhecido entre os amigos, largou sua profissão original, o jornalismo, para se dedicar ao direito, conquistando o grau de doutor em 2004.

Mobilidade

O prefeito de Palhoça, Ronério Heiderscheidt, continua recebendo mensagens de congratulações pela decisão de implantar o sistema de transporte marítimo. José Nonato, morador de São José, transmite parabéns pela iniciativa e coragem de enfrentar a grave questão do transporte coletivo. “O transporte marítimo é mais barato e gostoso de viajar”, diz.

Sensação de segurança

Para todos nós, que reclamamos tanto nos últimos dias, essa é uma imagem que agrada aos olhos: Polícia Militar e Guarda Municipal circulando pela cidade. Sensação de segurança é isso aí.

Realidade – Jovem estudante foi visitar um quartel da Polícia Militar catarinense e ficou impressionada: nunca tinha visto um policial de perto. Registrou imagens e, claro, “tuitou” sobre a sua experiência surpreendente.

Tristeza – Fechar os postos de combustíveis, em protesto contra os assaltos, tem o mesmo significado daquela piada sobre traição, em que o marido retira o sofá da sala…

Cidadania – E este sábado, se o tempo permitir, será especial para o bairro Agronômica: a Praça Celso Ramos revitalizada volta a ser utilizada pela comunidade. Atrações culturais e de lazer, numa promoção da empresa responsável e, a WOA.

Açorianidade – Imperdível, neste fim de semana, em Governador Celso Ramos, a 17ª Açor (Festa da Cultura Açoriana), promovida pela prefeitura local e pela Universidade Federal de Santa Catarina. Atividades gastronômicas, artesanato, cultura e arte, para todos os gostos.

Lei de Murphy – Sexta-feira, fim da tarde, um pouco antes das 18h, desabou o maior toró na região metropolitana. Os motoristas da região, que sofrem todos os dias com a imobilidade urbana, devem ter pensado: “Não há nada que esteja tão ruim que não possa piorar mais um pouquinho”.

No-break – O temporal de sexta-feira provocou, de novo, um fenômeno tecnológico na cidade: grande parte das sinaleiras, em pontos críticos, simplesmente saiu do ar. Não está na hora de o sistema ganhar um no-break?

Drinque – Piada recolhida do twitter, na sexta-feira à noite: “Chove granizo aqui nos Ingleses e Santinho… Vou fazer uma caipirinha”.

Trânsito – Cento e trinta mil carros a mais circularão por Florianópolis durante a temporada de verão. Essa é uma estimativa oficial, divulgada pela prefeitura na sexta-feira. E que dá uma ideia exata do que nos espera entre dezembro e março: o colapso completo.

Anúncios

5 responses to this post.

  1. […] This post was mentioned on Twitter by Carlos Damiao and Carlos Damiao, Carlos Damiao. Carlos Damiao said: Saiba por que o prefeito Dário Berger cancelou agenda e por quem ele chorou na sexta-feira. Aqui – http://bit.ly/c9Y58g […]

    Responder

  2. Posted by Eduardo Guerini on 06/11/2010 at 9:10

    Damião,
    Os estudos de impactos sócio-ambientais no caso da metropolização da região da Grande Florianópolis, indicam a necessidade urgente dos mandatários de plantão adotarem “políticas conjuntas” nas diversas áreas que são prioritárias para o convivio urbano e conurbado, tais como: saúde, educação, segurança, habitação, saneamento, transporte público. Eis uma questão que fica para o debate: qual prefeito municipal romperá com essa sanha “territorial” e retomará o debate metropolitano?
    Abs

    Responder

  3. Posted by paulo stodieck on 06/11/2010 at 15:49

    Damião, até onde sei, circular significa andar; sair de um ponto, seguindo para outro; movimento contínuo. Como a coluna (6/7 de novembro) informa que “cento e trinta mil carros a mais circularão por Florianópolis na temporada de verão”, a cidade vai viver emocionantes dias da melhor versão do famoso “adiante, um passo atrás”…

    Responder

  4. Posted by mario cesar pacheco on 07/11/2010 at 9:05

    Quem sabe a cobrança de um pedágio para entrar na ilha seria a solução ? O dinheiro arrecadado seria revertido para a melhoria do transporte coletivo de massa, manutenção das rodovias, vias e implantação de ciclovias na capital.

    Responder

  5. Posted by Diego Wendhausen Passos on 08/11/2010 at 14:29

    Prezado Damião,

    Lendo a entrevista que fizesse com o Edy Leopoldo Tremel, convido-o a acessar meu blog, diegowpassos.blogspot.com, e dar uma olhada no material que produzi sobre a Novembrada, ano passado. Fiz duas matérias, e publiquei as entrevistas que realizei, além de um perfil do Mosquito, certamente o mais polêmico dos envolvidos no episódio. Para quem gosta de Fórmula 1, também venho divulgar o site diegowpassosf1.blogspot.com, no qual escrevo apenas sobre a principal categoria automobilística do mundo.

    Abraços

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: