Ponto Final – 5 de outubro

Representatividade regional

A rigor, a Grande Florianópolis elegeu apenas cinco deputados estaduais: Cesar Souza Júnior (DEM), Sargento Soares (PDT), Renato Hinnig (PMDB), Angela Albino (PCdoB) e Lício Mauro da Silveira (PP). Nenhum deles é novato na Assembleia Legislativa. Apenas Angela, antes suplente, será efetivada no mandato popular. Mas a região metropolitana da Capital é muito congestionada: mais de cem candidatos “beliscaram” votos nos municípios. Quanto à Câmara Federal, a Grande Florianópolis pode se considerar representada por pelo menos dois deputados – Esperidião Amin (PP) e Paulo Bornhausen (DEM). Gervásio Silva (PSDB), que foi prefeito de São José, não conseguiu se reeleger.

Fracos

O prefeito Dário Berger não conseguiu eleger nenhum de seus candidatos à Assembleia e Câmara Federal. E o PSB, do prefeito de São José, Djalma Berger, não elegeu nenhum representante. Melhores desempenhos foram de vice–prefeitos: Cláudio Dalvesco (Balneário Camboriú), fez 15.354 votos para Assembleia; Rogerinho (Tijucas), alcançou 20.429 para Câmara.

De volta

Passado o calor da disputa, o vice-prefeito João Batista Nunes, que obteve 12.715 votos para deputado estadual, volta a se dedicar à questão da mobilidade urbana. Seja bem-vindo de volta, vice-prefeito, a cidade aguarda providências quanto aos muitos gargalos do trânsito no município. O senhor deve saber que as coisas pioram muito, dia a dia, e não há soluções visíveis ou razoáveis à vista.

Apelo

Governador eleito Raimundo Colombo: o senhor, que fez da saúde um dos pontos centrais de sua vitoriosa campanha, que tal uma visitinha básica ao Hospital Regional Homero de Miranda Gomes (São José). Mas não avise a ninguém. Apareça lá como paciente e tente ser atendido pelos profissionais daquele depósito de doentes. O senhor terá uma ideia muito aproximada do caos que lhe espera.

Abandono

Eleitores da 12ª Zona Eleitoral, como este colunista, que sempre votaram na Escola Silveira de Souza, foram transferidos este ano para um outro colégio, particular, na mesma rua. Nenhuma informação oficial sobre o caso. Supõe–se que o estado de abandono do tradicional estabelecimento público de ensino tenha sido o motivo. Se é verdade, só confirma o descaso governamental com o patrimônio histórico e cultural da cidade.

Emergente

Das várias análises que emergem do pleito de domingo para a Câmara dos Deputados está a de que  Gean Loureiro, mesmo ficando em 18ª no cômputo geral e 13º na sua coligação – que elegeu 10 – consolidou–se como nova força política em Florianópolis.  Deve ser considerado que há dois anos reelegeu–se vereador com pouco mais de 7 mil votos e agora quase carimbou seu passaporte para o Congresso Nacional com 68.921 sufrágios.

Musical

A primeira sessão do mês de outubro do Cineclube BRDE, nesta quarta–feira, 19h, apresenta o musical Cantando na Chuva, obra–prima do ator e diretor Gene Kelly. O filme foi lançado em 1952 é divertido e crítico, tendo Gene Kelly no papel principal e Donald O’Connor como seu parceiro, com coreografias e canções contagiantes. Após a exibição, Darci Costa mediará o debate.

Sem vez

Embora a obra seja necessária – trata-se de uma nova calçada, adequada à legislação – não deixa de ser curioso que o pedestre tenha sempre que ser penalizado em Florianópolis. Sem calçada, é obrigado a caminhar no leito da rua. As autoridades precisam disciplinar esse tipo de procedimento, para garantir a segurança das pessoas e evitar acidentes.

Peso – A Comcap recolheu ontem 10 toneladas de lixo espalhadas pela Capital. Não só propaganda política, tinha de tudo. Prova de que falta consciência cidadã e ambiental.

Realidade – Da leitora Bárbara Nunes: “Realmente, uma das maiores metrópoles do Brasil eleger o Tiririca como deputado federal é mostrar o quão patético está se tornando o ato de votar. A população está gritando: ‘Não adianta escolher, são todos iguais. E se não são, se tornarão’. Dura e fria realidade, de quando já não se contesta mais nada”.

Omissão – Outro leitor, Tadeu Harmonia, comenta nota sobre invasões em áreas de preservação permanente, como mangues, objeto de nota na edição de ontem. “Onde estão aqueles que se dizem protetores da natureza? Não há como controlar as invasões?”.

Perda – Será cremado hoje, em Balneário Camboriú, o corpo do professor Adilson Ventura, fundador e um dos principais dirigentes da ACIC (Associação Catarinense para Integração do Cego) e integrante do Conade (Conselho Nacional dos Direitos da Pessoa Portadora de Deficiência). Morreu ontem, em Florianópolis, aos 71 anos.

Estilo – Luiz Antônio Rufino observa sobre nota publicada ontem, a propósito da elegância dos eleitores mais velhos no dia da votação: “Esta é a forma de darmos mais seriedade à política, que faz parte do nosso cotidiano. Pode não parecer, mas somos um país com o maior índice de analfabetismo e este se reflete nas coisas públicas. Os mais velhos levam a sério o instituto do voto”.

Justiça – O juiz João Marcos Buch, de Joinville, sempre chama atenção por suas sentenças polêmicas. Mandou soltar cidadão que havia sido preso por roubar produtos cujo valor totalizava meros R$ 37,80. Aplicou o princípio da insignificância.

Anúncios

3 responses to this post.

  1. Posted by ednei ribeiro on 05/10/2010 at 9:25

    Carlos Damião
    Com relacao ao seu comentario sobre o Hospital Regional de São José, quero deixar aqui, como paciente da Hemodinamica, meu depoimento: apesar das imensas dificuldades que sofre este hospital, pelo escasso número de funcionarios e de leitos, quem tem seu problema atendido, sai de lá agradecido por tanta dedicacao e profissionalismo.

    Responder

  2. […] plásticos, bandeiras, adesivos e outros dejetos. A informação foi divulgada pelo jornalista Carlos Damião, em seu blog, […]

    Responder

  3. Posted by Tadeu on 06/10/2010 at 19:35

    Damião, veja que horror sao as fiaçoes aereas que poluem a vista do principal Patrimonio Historico de Sta Catarina, a Ponte Hercilio Luz. Faça o trajeto vindo pela ponte..chegando à ilha, uma tragedia…. depois ali nas imediaçoes do clube de remo , uma outra tragedia…… depois seguindo para av Beira Mar nas imediaçoes aonde existia o” Fios e Formas” outra tragedia, ali inclusive, se algum turista quiser fotografar o cartao postal vai ter fiaçao aerea por todos os lados. Me parece que quando fosse inaugurada a sub estaçao da ilha essas fiaçoes horrorosas seriam retiradas. Sugiro voce fazer uma nota sobre o assunto .Considero uma agressao ao cartao postal da capital de um dos Estados mais importantes do país .

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: