Ponto Final – 14 de agosto

Exemplo

A pergunta que não quer calar: por que a prefeitura de Florianópolis utiliza automóveis com placas frias? É um expediente excêntrico, para dizer o mínimo, porque revela a necessidade de esconder alguma coisa (ou alguém). Só para situar: o prefeito de Biguaçu, José Castelo Deschamps (PP), nunca utilizou carro oficial. Ele se desloca em seu automóvel particular, um jipe, com placas verdadeiras.

Desrespeito

Segue a sina sobre a questão da mobilidade urbana. Mais leitores se manifestam, cada qual contando as suas agruras. Aline Graziela, por exemplo, fica indignada com a situação de paralisia do trânsito e com os motoristas e motoqueiros mal-educados. Problema que se multiplica pela cidade, em especial no aterro, nas pontes e na Via Expressa.

Responsabilidades

Roberto Grisard Clausen comenta a resposta da Secretaria de Transportes, Mobilidade e Terminais da Capital, publicada ontem. “Se a secretaria não é responsável pelo trânsito, quem o é? Aí começa o jogo de empurra, o responsável é fulano, não, mas não é comigo, é com sicrano, e assim vai. Se a tal secretaria não tem responsabilidade pela a mobilidade, que troque de nome!”.

Gargalo

O complexo das pontes Colombo Salles e Pedro Ivo na verdade é uma ponte só, com quatro pistas cada. A Colombo Salles foi construída primeiro, inaugurada em 1975, porque não havia dinheiro à época para implantar o projeto completo. A Pedro Ivo foi entregue ao tráfego em 1990, 15 anos depois, mesmo com todas as encrencas envolvendo roubalheira. De lá para cá – duas décadas! – o que foi feito? Nada. Nem a Via Expressa da BR-282 – projeto antigo – foi duplicada.

Descaso

Pacientes de São José são encaminhados para exames no laboratório bioclínico do município, cujo endereço, fornecido pela Secretaria Municipal de Saúde, é Rua Domingos Filomeno, 117, Praia Comprida. Ocorre que o laboratório funciona em outro lugar, em Campinas. Todos os pacientes gastam com transporte para chegar ao local indicado. E precisam desembolsar mais recursos pessoais para chegar ao endereço correto. A situação se arrasta há meses.

UFSC responde (1)

Mais uma resposta da UFSC sobre nota publicada na coluna: “O secretário de Relações Internacionais e Institucionais da UFSC, professor Enio Luiz Pedrotti, afirma que o projeto de lei nº. 234, que trata da permuta de área da Fazenda da Ressacada por um terreno da Celesc, ambos localizados no sul da Ilha de Santa Catarina, visando à construção do novo acesso e do setor de cargas do aeroporto Hercílio Luz, está na mesa do relator, deputado Marcos Vieira, e deve ser votado nas próximas semanas”.

UFSC responde (2)

Prossegue a resposta: “As negociações para a permuta foram concluídas com sucesso, e a construção da rodovia, de 6,5 quilômetros de extensão, é objeto de um projeto de engenharia que vem sendo elaborado pelo governo do Estado. Nesta área, situada ao lado da Fazenda da Ressacada, a UFSC projeta construir o campus do sul da Ilha, descentralizando ainda mais as suas atividades”.

Mais verde

A prefeitura de São José assinou o convênio para implantação da do Jardim Botânico municipal, unidade de conservação ambiental que contará com centro de pesquisa, laboratório, trilha ecológica, viveiro de mudas, museu, espaços para exposições, quadra poliespotiva e muito mais. Uma cidade praticamente sem áreas verdes merece esse equipamento.

Carga e descarga – A vida no centro de Florianópolis seria muito menos estressante se a prefeitura fiscalizasse o cumprimento da lei quanto, por exemplo, aos horários de carga e descarga dos caminhões. Os motoristas fazem o que querem, a qualquer hora. Cadê as autoridades desta cidade?

A questão – Para o leitor Anthony Toini, só há uma solução para o trânsito na Grande Florianópolis – o transporte coletivo. Toini considera que as autoridades precisam repensar tudo, readequar terminais de ônibus e desestimular – com medidas coercitivas, como pedágio ou rodízio – o uso de automóveis.

Abuso – O entorno da Praça 15 teve o trânsito trancado ontem, por quase 20 minutos. Ninguém entendia o que estava acontecendo. A causa era simples: um caminhão de transporte de valores estacionado em frente à agência central do Bradesco.

Escadaria – O vereador Asael Pereira (PSB), protocolou requerimento para que seja reestruturada a escadaria da Rua Servidão Farias, no Centro de Florianópolis. A justificativa do parlamentar é que a largura da escadaria é muito extensa e devido a isso os caminhões que precisam fazer entregas não conseguem estacionar.

Anúncios

2 responses to this post.

  1. […] 14/09/10 » Compartilhe este link no Twitter Da coluna Ponto Final, por Carlos Damião (ND, […]

    Responder

  2. Prezado Carlos Damião,
    No caso do veículo público apreendido com material de campanha, não sei o que é pior. A apreensão do veículo ou o fato do Procurador do Município de Florianópolis ter dito em reportagem ao RBS Notícias que não via irregularidade nenhuma no fato, em virtude do material estar no porta-malas. Quer dizer que carro público pode ser utilizado para fins particulares?
    Pretendo inclusive depois escrever no meu blog sobre, e quem sabe mandar um e-mail ao procurador do município perguntando se eles podem me emprestar o carro da prefeitura para eu fazer uma mudança!!!
    E por que o jornal não divulgou de quem era o material de campanha transportado?

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: