Coluna de hoje (10/9)

A visão de quem nos visita

Na abertura do 23º Congresso Nacional de Corretores de Imóveis, realizado no Centro Sul, o presidente da Federação dos Secovis (sindicatos da habitação), Sérgio Porto, disse o seguinte: “Um Estado tão belo, uma cidade tão bela, não merecem o aeroporto e a via de acesso que vocês têm. Nossa entidade coloca-se à disposição dos catarinenses para pressionar as autoridades brasileiras”. Foi aplaudidíssimo. Os quase dois mil participantes do evento sentiram na pele – alguns chegaram mais de uma hora atrasados à solenidade, na quarta-feira à noite – as agruras da imobilidade urbana e da falta de estrutura do aeroporto.

Desprezo

Ainda sobre a abertura do 23º Congresso Nacional de Corretores de Imóveis, foi muito notada a ausência de autoridades municipais. Nem prefeito, nem vice (que não pode, está em campanha para a Assembleia), nem secretários municipais apareceram para dar as boas vindas aos ilustres visitantes – em qualquer cidade turística que se preze o prefeito tem que dar as caras para saudar tanta gente junta ao mesmo tempo num evento como o 23º Conaci.

Abuso

Mais uma contribuição do sempre atento Lúcio Dias da Silva Filho: motocicletas estacionadas em áreas exclusivas para automóveis é cena comum na cidade. Pelo que se vê pelas ruas, não tem mesmo autoridade capaz de enfrentar os abusos cometidos pelos motoristas.

Universidade…

A Agência de Comunicação da Universidade Federal de Santa Catarina enviou o seguinte esclarecimento à coluna: “A polêmica em torno do alargamento da Rua Deputado Antônio Edu Vieira já virou peça de ficção. A UFSC jamais falou em cobrar pela área. Em, pelo menos, três reuniões com a Prefeitura de Florianópolis concordou e estimulou a imediata realização da obra. (A Reitoria da UFSC é a maior interessada em melhorar o trânsito no entorno do Campus)”.

…Se defende

Finaliza a Agecom: “A universidade, portanto, continua à disposição para resolver, de imediato, o imbróglio. Só não pode se responsabilizar pela inércia de quem insiste em jogar a culpa na instituição. A divisa com a UFSC está solucionada. Basta arregaçar as mangas e iniciar os trabalhos que, certamente, encontrarão outros desafios ao longo do caminho, passando pela Eletrosul e pelos moradores até o Armazém Vieira”.

Otimismo

O prefeito José Castelo Deschamps, de Biguaçu, foi visitar ontem a sede do grupo EBX, no Rio de Janeiro. Em diálogo telefônico com este colunista demonstrou otimismo em relação ao estaleiro que a OSX pretende instalar em seu município, beneficiando toda a região metropolitana. Apesar de otimismo, o prefeito mantém-se cauteloso: entende e apóia todas as questões envolvendo as licenças ambientais, e prefere não falar em tempo (prazos).

Parada

Tadeu Harmonia responde ao questionamento publicado aqui sobre o desfile de 7 de Setembro: “A parada deve ser feita na passarela por ter arquibancadas, onde o público pode assistir aos desfiles confortavelmente sentado, ao passo que na Avenida Beira-mar talvez seria necessário instalar algumas arquibancadas; e qual o custo pra se construir arquibancadas pra mais de 10 mil pessoas sentarem? A passarela foi muito bem utilizada para o 7 de setembro, e espero que continue todos os anos ali mesmo”.

Paulo Fontes

Mais um leitor se manifesta sobre a utilização da Paulo Fontes (foto) para realização de eventos: “Gostaria de saber quem libera na Prefeitura a autorização para trancar a Avenida Paulo Fontes para os pedestres com a montagem de arquibancadas, espaços gradeados etc. para shows, eventos religiosos etc.? Por que não o fazem na Passarela Nego Quirido?”.

Socorro

Prossegue o leitor, que não pode se identificar: “Já é um tumulto andar pela Paulo Fontes e ter que driblar vendedores, carrinhos de mão vendendo artigos de procedência duvidosa, simpatizantes políticos e suas bandeiras e santinhos, e agora nos privam de locomover pelo local promovendo eventos de natureza duvidosa. Socorro, Floripa!”.

Piso – Todos sabemos que o Centro Sul não é lá essas coisas como centro de eventos. O piso do ambiente de festas – onde são servidos os jantares – é muito semelhante às calçadas de Florianópolis: irregular, feio, triste, velho. A cidade merece coisa melhor.

Justiça – Hoje é dia de os florianopolitanos conhecerem o projeto de lei que trata do novo texto do Código de Processo Civil (CPC). A audiência pública, com a participação do senador Valter Pereira, acontece a partir das 9h30, no auditório do Tribunal de Justiça.

Hackers invadiram sistemas de autoridades e amigos do colunista.

Telona – “Almas à Venda”, produção francesa, com direção de Sophie Barthes, é o cartaz de hoje e amanhã no Paradigma Cine Arte. Sessões às 19h e 21h30. O Paradigma fica na SC-401, Santo Antônio, Corporate Park.

Visão – Especulação publicada no Twitter do empresário Ernesto São Thiago, ontem: “Gaivota planando sobre a Guanabara sinalizou que se estaleiro OSX não vingar, Eike Batista cogitaria investimento turístico para Biguaçu”. Eike é mesmo um homem de visão.

Anúncios

3 responses to this post.

  1. […] 10/09/10 » Compartilhe este link no Twitter Da coluna Ponto Final, por Carlos Damião (ND, […]

    Resposta

  2. Não há como dizer que Florianópolis tem “mobilidade urbana”. A título de exemplo: do Córrego Grande ao Centro, para percorrer uma distância de menos 10Km, a linha leva mais de uma hora nos horários de pico. O maior tempo se perde para atravessar a UFSC e na Rua Bocaiúva, mas imediações do Beiramar Shopping. E isso no ônibus executivo! Imaginem o tempo que se leva caso tenha de ser feita baldeação no TITRI.

    Resposta

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: