Ponto Final – 17 e 18 de julho

Reforma da Câmara causa demissão

O prefeito Dário Berger exonerou a diretora de Planejamento do Ipuf, Cristina Piazza. O fato tem relação com o convênio para restauração da antiga Casa de Câmara e Cadeia, realizado com o Instituto Diverscidades, que é dirigido pela arquiteta, assunto abordado nesta coluna, em primeira mão, no último dia 14. O documento assinado pela prefeitura e pelo instituto, em janeiro deste ano, estimou em R$ 25 milhões o valor total para a recuperação do prédio histórico localizado na Praça 15 de Novembro. Conforme o convênio, 10% do valor seria destinado à entidade privada, que é apenas a intermediária da restauração.

Além de exonerar Cristina Piazza, o prefeito Dário Berger determinou a revisão do convênio assinado com o Diverscidades. Antecipa-se, assim, ao barulho que as oposições pretendem fazer na Câmara Municipal. O vereador João Amin (PP) já anunciou um pronunciamento sobre o caso para a semana que vem.

Museu abstrato

O prédio é muito bonito, foi inaugurado em 1916 como parte do sistema de esgoto de Florianópolis. Depois – até 1985 – serviu como mictório público da cidade. Há 25 anos, o governo de Esperidião Amin decidiu transformá-lo em Museu do Saneamento. E o problema é justamente este: o que haverá lá dentro? Impossível saber. O museu está sempre fechado e só nos resta apreciar a beleza da construção.

* * *

Procurei me informar sobre o museu com o vice-prefeito João Batista Nunes. Ele garantiu que o prédio estará integrado ao projeto do novo Terminal Cidade de Florianópolis e será aberto à visitação. Esperamos que sim. Se é um museu, quem não quer conhecer o que conserva?

Câmara josefense

O prédio da Câmara Municipal de São José, que era um verdadeiro atentado ao bom gosto arquitetônico, vai finalmente ser entregue de volta aos vereadores e à comunidade em agosto. As obras de revitalização, que incluem grandes modificações estruturais e arquitetônicas, além de equipamentos voltados à sustentabilidade, estão em fase final de execução.

Reinvenção

O presidente do Legislativo, Amauri Valdemar da Silva (Amauri dos Projetos), na imagem, acompanha de perto a fase final dos trabalhos, garantindo que o prédio é praticamente uma reinvenção do anterior, agora bonito, confortável e adequado às atividades parlamentares e ao contato com a sociedade.

Engenharia (1)

Florianópolis será sede, entre 22 e 28 de agosto de 2011, no Centro Sul, da 68ª Semana Oficial de Engenharia, Arquitetura e Agronomia, um dos maiores eventos do setor tecnológico da América Latina, que reúne todos os anos cerca de 3,5 mil profissionais e estudantes de todo o país. A organização do encontro estará a cargo do Crea-SC.

Engenharia (2)

O Crea-SC vai lançar o evento de 2011 durante a realização da 67ª Semana, em Cuiabá, no dia 25 de agosto deste ano. O conselho apresentará à comunidade profissional e estudantil a diversidade e o potencial turístico, econômico e cultural de Santa Catarina. Conferências, painéis e debates com o tema “Construindo uma agenda estratégica para o sistema profissional” fazem parte da programação.

Os terminais…

Leitor Carlos Nunes não deixa barato quando se trata do Terminal Cidade de Florianópolis. Ele quer saber qual o interesse de lideranças políticas e comunitárias de São José em manter no Ticen as linhas intermunicipais que podem ser transferidas para o terminal mais velho. Nunes aponta inúmeros problemas do Ticen na atualidade, como a confusão de linhas (três ou quatro, num único espaço), filas e desembarque irregular – fora das plataformas –, justamente por conta do congestionamento.

… e o fim da bagunça

Finaliza Carlos Nunes: “Gostaria de salientar também que se as linhas intermunicipais passarem para o Terminal Cidade de Florianópolis teremos a revitalização daquela região, que foi tão prejudicada com a mudança. Pense: quantos perderam seus empregos por isso, quantos comércios fecharam as portas. Se as linhas intermunicipais voltarem para o Cidade de Florianópolis, quantos poderão ter seus empregos de volta? Sem contar que a bagunça do Ticen irá acabar”.

Urupema – A frase mais ouvida nas ruas de Florianópolis, na sexta-feira, foi esta: “Vai fazer frio assim lá em Urupema!”. Há testemunhas.

Biografia – “Dás um banho – Roberto Alves, o rádio, o futebol e a cidade”, a biografia autorizada e definitiva do querido comentarista esportivo, será lançada no dia 26 deste mês, na Assembleia Legislativa, 19h30. Autor? Ora, pois, o Paulo Brito, não tem? Duas figuras indispensáveis da cidade – o biografado e o autor.

Adoção – Quem for ao Floripa Shopping neste sábado terá a oportunidade de praticar uma boa ação. A Associação Abaré de Proteção Animal coloca cães e gatos resgatados do abandono ou de situações de maus tratos à disposição do público.

Explicação – Funcionário da Câmara de Florianópolis esclarece: a ação civil pública que supostamente ficou dormindo 10 anos nas gavetas da Procuradoria do Legislativo na verdade foi retirada por um dos advogados em 16 de março de 1999 e devolvida em 11 de março de 2010. Nada a ver, portanto, com a Procuradoria.

Mulheres – Dados de uma ONG suíça indicam que uma em cada quatro brasileiras sofre com a violência doméstica: a cada 15 segundos, uma mulher é atacada. E a Lei Maria da Penha? Funciona muito mal, porque o Estado não oferece condições para seu cumprimento.

Anúncios

3 responses to this post.

  1. cara, agora tou mto curioso pra saber o q tem dentro daquele “museu”…

    abração

    Resposta

  2. Posted by Helena on 18/07/2010 at 11:12

    Damião, favor publicar panfleto de nosso movimento em defesa do LEGÍTIMO desenvolvimento sustentável da grande Florianópolis:

    ABAIXO A ECOLOGIA NO TERRENO DO VIZINHO!!

    Nos últimos anos, a região da Grande Florianópolis vem sofrendo ataques e achaques por ecoterroristas, ecoxiitas, ecochatos, ecohistéricos, biodesagradáveis, anarquismo verde, enfim, a chamada “máfia verde”.

    Muitos vociferam em nome de ONGs de fachada, entidades comunitárias irregulares e “fóruns” sem personalidade jurídica. Esses bravateadores formam claques, autodenominam-se “representantes” da população, ocupam os mais diversos espaços públicos para decidir o futuro das cidades e a vida do cidadão de bem. Muitas dessas entidades não prestam contas da verba que recebem, às vezes, pública. Também não apresentam sua lista de filiados ou associados, pois sequer possuem registro de seu Estatuto conforme previsão legal. E mais: muitas delas encontram-se locadas em áreas de ocupação irregular ou até de preservação permanente. E ainda: muitos de seus diretores ou aqueles que se intitulam líderes comunitários ou ambientalistas moram em áreas de preservação permanente ou limitada, não possuem “Habite-se” geral, tampouco o específico da fossa séptica. Mas, pasmem, querem ditar as regras para a população, pois consideram que sua moral é melhor que a dos outros. Ao invés de legítima representatividade, o que eles têm é legítima moral de cuecas. Ou melhor: é a legítima “ecologia no terreno do vizinho”.

    O movimento ecoxiita atingiu seu auge, quando, recentemente, uma entidade comunitária, com endereço em cima das dunas dos Ingleses (a conhecida favela do siri em área de preservação permanente) requereu ao Ministério Público Estadual “explicações” sobre um projeto de teleférico entre Ingleses/Santinho (Inquérito Civil 06.2010.002789-6).

    É sabido que os países do Primeiro Mundo, os quais se recusaram a assinar o Protocolo de Kyoto, não tem o menor interesse no progresso sócio-econômico de países como o Brasil. É a chamada reserva de mercado e de mão-de-obra barata. E o movimento ecoterrorista, não poucas vezes financiado com verba internacional, presta-se a criar obstáculos ao desenvolvimento sustentável pretendido pela nossa Nação.

    O mais escabroso é o método: ao mesmo tempo em que atacam os países “imperialistas”, por debaixo dos panos, fazem seu jogo.

    É por isso que cidadãos de bem da Região da Grande Florianópolis vem se organizando no sentido de desmascarar a falta de legalidade e de legitimidade de entidades e indivíduos ligados à “máfia verde” do atraso. Una-se a nós: denuncie-os, combata-os.

    Movimente-se, participe:

    Fórum em Defesa do Desenvolvimento Sustentável da Grande Florianópolis – o legítimo:

    pelos morros, mangues e dunas livres, contra a ocupação irregular e em prol da valorização das regras dos Planos Diretores em vigor e do “Habite-se”; contra projetos de leis ORDINÁRIAS de denominação de servidão clandestina; em prol da rede coletora de esgoto;
    em defesa do Estado Democrático de Direito e contra a máfia verde. Pela criação de um Observatório da Insegurança Jurídica de Florianópolis!

    Resposta

  3. Posted by Vadeco on 19/07/2010 at 10:51

    Chegou aos meus ouvidos que esse Museu do Saneamento é um cabide de emprego. Tem gerente, asssessor e quatro chefias. Diz ainda que é só conferir no RH da Casan. Será ??? Damião tem tudo prá ser verdade pois quando a maré estava baixa pro meu lado um ex-diretor, mui amigo, disse que se ainda estivesse no comando me nomearia lá…Credo!!!

    Resposta

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: