Ponto Final – 10 e 11 de julho

A violência sem limites

O Notícias do Dia publicou na quinta-feira uma reportagem sobre a insegurança no Terminal Rodoviário Rita Maria. A rodoviária de Florianópolis é um dos lugares mais vulneráveis da cidade, reunindo no seu entorno – e em seu interior – um grande contingente de desocupados, viciados em crack e traficantes. O assalto à agência bancária do local foi apenas uma consequência da omissão do poder público nos últimos anos, colocando em risco a vida de pessoas inocentes, uma vez que houve um tiroteio entre os bandidos e os policiais logo após o crime.

Privatizar a rodoviária, como sugeriram autoridades ao Notícias do Dia, não significa mais segurança. Mesmo as rodoviárias administradas pela iniciativa privada estão sujeitas à violência. A de Itajaí, por exemplo, pertence a uma empresa, mas sua segurança é garantida pela circulação constante de policiais militares. Então, não é a privatização que resolve, mas a presença do Estado nesses espaços públicos.

 Reação positiva

Ainda que o Terminal Rodoviário Rita Maria sofra do mal crônico da falta de segurança, convém abrir um parêntese: a Polícia Militar agiu com rapidez incrível para caçar os assaltantes, prendendo-os em questão de minutos, a poucos metros da rodoviária. Mérito do setor de inteligência da PM, que percebeu a ação dos criminosos e desencadeou a reação.

Imagem

Mais uma prova de que Biguaçu continua sendo o plano A da OSX para construção de seu estaleiro: um caprichado folder, preparado pela companhia, saiu do forno na sexta-feira e começou a ser distribuído para a população. Contém informações básicas sobre o empreendimento, inclusive com um quadro explicativo sobre “verdades” e “mentiras” que têm sido difundidas a respeito do projeto.

Nova reunião

Já está marcada a segunda reunião da Frente Parlamentar de Apoio à Implantação do Estaleiro OSX em Biguaçu: será na terça-feira, às 18h30, no plenarinho da Assembleia. Técnicos da Fundação Certi apresentarão resultados de estudos sobre a questão dos botos-cinza que habitam o oceano na região do futuro estaleiro, um dos principais entraves apontados pelo ICMBio.

Sem convite

O vereador Dalmo Menezes (PP) ligou para explicar por que não houve a participação de representante da prefeitura na audiência pública que discutiria a concessão dos serviços de táxi na cidade. O convite da Câmara para o gabinete do prefeito chegou depois da realização do encontro no Legislativo. Um novo convite foi enviado – e protocolado – para mais uma tentativa de audiência, nesta segunda-feira, às 15 horas.

Justificativa

Vereador Márcio de Souza (PT) esclarece que o projeto relativo ao cemitério judaico é de sua autoria, não do Executivo. E diz que a previsão de um muro, com 3,5 metros de altura, é uma exigência da cultura judaica, não discriminação. “Como bem sabemos, os cemitérios, lugares onde são sepultados os cadáveres, são, também, locais de práticas religiosas”, observa o parlamentar florianopolitano.

Sotaque no pincel

Vejam que bacana: conhecedora dos costumes açorianos, a artista plástica Solí consegue retratar com fidelidade e carinho o folclore litorâneo, que aparece nas lindas pinceladas de Vivências, sua nova exposição. O resultado de sua dedicação pode ser conferido no Espaço Cultural Governador Celso Ramos – BRDE a partir desta segunda-feira, às 19h.

Engajamento

Com a equipe engajada e motivada, a Fundação de Apoio à Pesquisa Científica e Tecnológica do Estado (Fapesc) aposta na qualidade dos seus projetos como estratégia para alavancar os recursos do orçamento de 2010 para Ciência, Tecnologia e Inovação. O presidente da fundação, Diomário de Queiroz, tem a expectativa de aplicar o máximo possível dos R$ 93 milhões orçados. Em 2009 foram R$ 50 milhões.

Direito

Advogado Valdir Mendes escreve para a coluna a propósito da polêmica entre defensoria pública e defensoria dativa: “A defensoria dativa atende aos necessitados de uma forma célere e qualitativa, contrariando, pois, a ideia de que a defensoria pública seria o sistema ideal. Ideal, sim, para atender despesas flutuantes absurdas e ainda com carência de atendimento aos necessitados, eis que o número de pessoas para este fim seria diminuto frente ao que ocorre”. 

Formando empresários

A Junior Achievement vem há mais de 13 anos desenvolvendo o importante desafio de difundir o empreendedorismo entre os jovens catarinenses. Uma amostra desse trabalho pode ser conferida neste sábado no Shopping Itaguaçu, com a Feira de Miniempresas 2010, onde estarão expostas 16 experiências empreendedoras de 250 estudantes da Grande Florianópolis. 

Artesanato – Vale a pena passear em São Pedro de Alcântara neste sábado, onde acontece a Feira de Artesanato Arte & Sabor, com produtos em madeira, doces, chocolates caseiros, cachaça artesanal, chope artesanal, pães caseiros e outros produtos da colônia.

Eco Kit – O Floripa Shopping promove a campanha Plante essa Ideia, em homenagem ao Dia de Proteção às Florestas, comemorado no dia 17 de julho. A ação tem como objetivo estimular a consciência ambiental, presenteando com Eco Kits os clientes que fizerem compras no valor de R$ 200.

ECA aos 20 anos – O Estatuto da Criança e do Adolescente completa 20 anos na próxima quarta-feira. Há quem fale mal do Estatuto. Mas a verdade é que o Estado brasileiro pouco fez por crianças e adolescentes nestas duas décadas.

Coautoria – E não é só o Estado: pais que não se interessam pelo destino de seus filhos também deveriam ser responsabilizados.

Pobreza – A Grande Florianópolis tem 22 salas de cinema em shoppings. E sabem o que é possível assistir neste fim de semana? O caça-níqueis “Eclipse”, presente a oito das salas, ou “Toy Story 3” e “Shrek para Sempre”.

Socorro – Quem gosta de filmes mais elaborados tem que se socorrer nos cinemas alternativos – o Paradigma, o Sol da Terra e os cineclubes BRDE e Badesc. Sendo que essas salas não funcionam todos os dias.

Sentimento – Incredulidade, mais do que indignação, é o sentimento geral nas ruas em relação ao episódio envolvendo o goleiro Bruno. Alguém que conquistou tanto num curto espaço de tempo não poderia ter optado por uma vida bandida tão estupidamente.

Anúncios

2 responses to this post.

  1. Posted by Bernardo on 11/07/2010 at 13:56

    Na defensoria dativa, o advogado, se desvia do seu procedimento normal, ganha menos do que em outros casos, faz por obrigação, porque a OAB obriga. Você acha que ele vai tratar o caso da mesma forma que os casos pelos quais ele recebe altos honorários? Obviamente não.

    Na defensoria pública, o funcionário é dedicado a atender a população, ganhando mensalmente por aquilo e trata todos os casos como iguais, pois sempre atende ao público. Fez concurso para esta função, escolheu ser defensor público, então exerce a função por vocação. Se isso tem um custo pro Estado, os hospitais e escolas também o tem.

    Responder

  2. Posted by Carlos on 12/07/2010 at 15:54

    Ô, Damião, por acaso o “caprichado folder” da OSX fala dos outros empreendimentos do grupo? Diz quantos milhões de multas eles já levaram do Ibama? Fala que o Evo correu eles da Bolívia por causa dos crimes ambientais? Ou explica como é o tal projeto de Punta de Cachos, no Chile? Ou Peruíbe, em São Paulo? O que aconteceu depois da Novo Astro, no Amapá?
    Eike Batista + crime ambiental, no google: tudo a ver!

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: