Coluna de 5 de abril

Chega de lero-lero

Vencido o prazo das desincompatibilizações, espera-se que os governantes de todos os níveis concentrem suas atenções, agora, nas graves responsabilidades exigidas de seus cargos.

A praça…

A imagem, registrada por volta de 1972, mostra um cenário florianopolitano que perdeu praticamente toda essa configuração, o Largo Benjamin Constant. Não há mais as casas da foto. O que resta de original, pelo menos o que é mais visível, está à direita: o quiosque, que nos anos 1970 se chamava Kioski e reunia o beautiful people de Florianópolis. Ali pontuaram personagens como Ricardinho e Karin Machado, Cacau Menezes, Nenem Alves, entre tantos outros jovens da “Turma do Kioski”.

…e o avião

Mas o que há de interessante nesse belo espaço urbano é o que está em primeiro plano – e também desapareceu (quem teria sido o prefeito que cometeu esse desatino?). É a Pracinha do Avião, que registrava em sua calçada a imagem do avião T-6 1336 F, da Esquadrilha da Fumaça, que caiu no local em 1961, em frente à casa do General Rosinha (Paulo Vieira da Rosa).

Fanáticos

Tem gente que passa o ano inteiro esperando a chegada da Quaresma com um objetivo bem definido: malhar a farra do boi, uma tradição que está em franca decadência em Santa Catarina. Fanáticos antifarristas mandam mensagens e telefonam ameaçando os jornalistas que simplesmente só exercem sua profissão, ou seja, noticiam os fatos com isenção, sem tomar partido.

Coelhinho folgado

Leitor Altair Lopes deixou para levar o filho à bela Casa do Coelho, em São José, na sexta-feira santa. Lá chegando, surpreendeu–se com um cartaz informando que a casa suspendeu suas atividades na quarta-feira, dia 31 de março. Ou seja, a atração criada pela prefeitura para encantar a garotada funcionou no ritmo de ponto facultativo – emendou o feriadão.

Arte sustentável

A Feira Internacional de Artesanato e Decoração Artesanal (Feincartes), que acontece no Centro Sul até dia 11 deste mês, é uma ótima oportunidade para conhecer práticas sustentáveis: Denyse Vianne comanda oficinas que ensinam o aproveitamento artístico de resíduos sólidos, como garrafas plásticas, papel e metal. A Feincartes funciona das 15 às 22h, todos os dias.

Pedalando

O prefeito de Balneário Camboriú, Edson Piriquito (PMDB), está gostando mesmo de pedalar. Na sexta–feira santa ele aproveitou o feriado e junto com mais outros 20 ciclistas fez o percurso de Balneário até o santuário de Santa Paulina, em Nova Trento. Piriquito percorreu em três horas e meia o trecho de 78,9 quilômetros, de sua casa, no bairro Pioneiros.

Ciclovias

“Para alguém sedentário, que só se dedica ao trabalho e passou recentemente por um infarto, é bom demais poder chegar”, afirmou o prefeito. Edson Piriquito está engajado no movimento “Pedala Balneário Camboriú” e pretende construir ciclovias nas avenidas Atlântica, Brasil e do Estado. “Já estamos contratando um Plano de Mobilidade Urbana que vai contemplar a construção dessas ciclovias”, anunciou.

Comércio fraco

João Firmino nasceu há 60 anos no Continente, onde mora até hoje. O leitor registra: “Antigamente, o bairro (Estreito) era muito menor, tinha menos gente. Mas havia uma padaria, uma lanchonete, um mercadinho, uma venda em cada esquina. Hoje, com uma população muito maior, nós não temos mais essa fartura de serviços, nem lugares tradicionais para nos encontrarmos”.

Qualidade de vida

O leitor entende que o desaparecimento dos pequenos negócios de bairro tem a ver com a exagerada valorização dos imóveis. “No lugar das padarias e dos mercadinhos temos o quê? Financeiras, bancos, farmácias, operadoras de telefone celular e outros negócios muito lucrativos”. Para ele, a falta das lojinhas tradicionais contribui para a perda da qualidade de vida nos bairros.

Primeiro o projeto

No Rio de Janeiro, o prefeito Eduardo Paes pretende fechar a Avenida Rio Branco para implantar um projeto de humanização, coisa muito semelhante ao que houve aqui com a Avenida Paulo Fontes. Mas lá a prefeitura desenvolveu antes um projeto, vai interditar a via provisoriamente e só depois da experiência vai decidir se vale a pena.

Recesso branco?

No fim de semana, a pauta da Assembleia Legislativa registrava apenas ações administrativas e um evento cultural para o dia de hoje – a abertura da exposição Brincadeira de Criança, da artista Scheila Montano. Mas é possível que ao longo do dia os deputados voltem a discutir ou se indignar com o pacote de gentilezas do governo para alguns setores do serviço público.

Correios falham

Também em Florianópolis cidadãos e comerciantes se queixam dos atrasos da correspondência. A dona de uma loja lamentou-se para o colunista, na semana passada: todas as suas contas têm chegado depois do vencimento. Conformada, paga os juros e multas, porque entende que reclamar contra os Correios no Procon não vai adiantar.

Anúncios

One response to this post.

  1. […] Turismo Comércio fraco e qualidade de vida nos bairros 5/04/10 Da coluna de Carlos Damião (ND, […]

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: