SC-470 é o retrato do descaso governamental

Fui no sábado a Blumenau, cidade onde morei por quase dois anos na década de 1980. Quente, muito quente, de um calor que nos torna indolentes e nos deixa sedentos o tempo inteiro. Já era assim quando vivi lá: saía do hotel às 9 horas, ia pro jornal, passava o dia e parte da noite em ambiente climatizado e voltava correndo para o hotel — ligava o ar-condicionado, lia e assistia a televisão de pernas pro alto… Não dava pra fazer nada à noite, a não ser ficar no quarto climatizado.

Mas o que me impressionou mesmo na viagem a Blumenau não foi o calor, que é típico, sempre foi assim e não tem nada a ver com aquecimento global. O que me deixou indignado foi o estado deplorável da SC-470 (Rodovia Jorge Lacerda). A estrada que é responsabilidade do Governo do Estado está completamente abandonada, com sinalização precária (em muitos trechos não há sinalização horizontal e a vertical está encoberta pelo mato), muitos buracos, desníveis, remendos mal-feitos. Na volta, quase meia-noite, fiquei pensando com meus botões: mas a descentralização proposta pelo senador, digo, governador Luiz Henrique da Silveira não era para melhorar a vida no interior? Pelo que vimos na SC-470, nunca. Ali nunca houve descentralização, não há ação efetiva do poder público para melhorar o trajeto de pouco mais de 40 quilômetros entre a BR-101 e Blumenau. Mais ainda: a rodovia se transformou numa via urbana, a maior parte dos trechos é sinalizada para velocidades entre 40 e 60 quilômetros por hora (daí que, entre a 101 e Blumenau, leva-se uma hora para cumprir a viagem).

Pelo pouco que entendo de rodovias, creio que a SC-470 deveria ser revitalizada, com um novo projeto, que previsse túneis, elevados e passagens seguras para os pedestres. Se as cidades de Ilhota e Gaspar cresceram às margens da estrada, quem deve corrigir o problema é o poder público, não os moradores.

Mas o que esperar de um governinho que só tem ideias megalomaníacas, que paga R$ 2,5 milhões para um show que não haverá (Andrea Bocelli), torra R$ 800 mil na reforma de uma sala da Secretaria de Cultura, Turismo e Lazer, entre outras despesas inúteis e suspeitas? Nada mesmo. A SC-470 em que trafeguei ontem é um exemplo do descaso e da incompetência.

E se alguém me perguntar por que não optei pela BR-470, entre Navegantes e Blumenau, respondo com tranquilidade: não tenho coragem de transitar por essa rodovia federal perigosa e, também, abandonada. Na estrada estadual pelo menos a gente tem mais chance de se defender dos malucos, porque as lombadas eletrônicas obrigam os babacas a diminuírem a velocidade.

Anúncios

4 responses to this post.

  1. Posted by Zé da Silva on 27/12/2009 at 16:04

    Santa Catarina não tem mais um orgão de conservacao de rodovias. Essa decisão do governo estadual me parece temeraria tendo em vista o patrimonio publico em estradas. Estradas são caras e demoradas para construir e exigem conservação constante.. Muitos foram os financiamentos esxternos para que tivessemos uma malha razoavel. Não conserva- las com profissionalismo poderá destruí-las.

    Responder

  2. Posted by Carlos A on 28/12/2009 at 9:16

    Damião,
    Este governo de “M” (mídia) só gastou naquilo que poderia reverter para a eleição do Luiz 15 !
    Fez propaganda para atrair turistas, mas nada fez para adequar a estrutura turística !
    Trouxe o milionário WTTC para Florianópolis mas ao mesmo tempo desdenhou os R$ 41 milhões que a bancada catarinense colocou no orçamento da União destinado à contrução da nova ligação da Via Expressa Sul ao aeroporto Hercílio Luz.
    Essa omissão mereceria uma investigação criminal, e olha que essa ligação chegou a ser licitada em 2001, mas foi barrada por denúncia ao TCU, denuncia que só em 2003 foi considerada improcedente, mas mesmo assim Luiz 15 se recusou a executar a “obra do governo anterior” !
    Assim nao temos acesso e por consequência não temos o aeroporto que o estado merece, mas certamente teremos um novo senador !
    Uma pena !

    Responder

  3. Posted by Bernardo on 29/12/2009 at 14:56

    Concordo com tudo. Dou suporte para uma empresa de Blumenau, e sempre que tenho que passar por Gaspar, é uma desgraça. Já passei por aquele trecho não sinalizado debaixo de chuva intensa, e é o terror. Perigosíssimo. Sem contar os milhares de radares e semáforos eletrônicos que não condizem em nada com uma pista que se diz de tráfego intenso. Se pego um veículo lento na frente então, é demora na certa. Em alta velocidade, faço de Florianópolis à entrada de Itajaí/Blumenau em uma hora. Já pra chegar em Blumenau, levo mais meia hora, por um trecho que é um décimo do tamanho.

    Responder

  4. Posted by Paulo Correa(tarsoryon) on 09/01/2011 at 18:25

    Não se preocupem, Colombo já garantiu que ira entregar para iniciativa privada. Sinto cheiro de pedágio CARO, mas o governador tem aval da maioria dos catarinenses e dentro de seu Staff, tem gente que criticou muito o pedagio da BR101.

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: