Soluções para o trânsito

 

Há muita gente que depende de seu veículo particular para trabalhar e viver. Não dá para generalizar quando se fala em “transporte individual” para destacar automóveis ocupados por apenas uma pessoa, quando sabemos que há profissionais liberais e trabalhadores em geral que precisam se deslocar por distâncias extensas, como Palhoça-Florianópolis, São Pedro de Alcântara-Florianópolis, Governador Celso Ramos-Florianópolis, Ingleses-Centro e outros trajetos. Claro, estes dependem desse tipo de transporte para resolver as demandas do seu cotidiano.

O que a prefeitura deveria fazer, além de estimular o uso de transporte coletivo de massa (mais barato, rápido e confortável), é desenvolver campanha voltada aos que não precisam utilizar seus carros para trabalhar. Milhares de pessoas vão de automóvel para o trabalho sem necessidade e engrossam os engarrafamentos nos horários de pico.

Recentemente, ouvi de um assessor do prefeito Dário Berger uma idéia interessante: a construção de estacionamentos subterrâneos, na Praça da Bandeira e no aterro da Via Expressa Sul, com o objetivo de acomodar os veículos das pessoas que não têm necessidade de trafegar o dia inteiro. Elas deixariam os carros e iriam de ônibus especiais – com ar-condicionado – para os seus locais de trabalho e estudo. Na volta, a mesma coisa, com muito menos estresse. Se adotada, essa medida aliviaria o trânsito em toda a região central.

Anúncios

6 responses to this post.

  1. Posted by Anthony Toini on 14/10/2009 at 14:27

    Eu digo que, infelizmente, quase metade das pessoas que se utilizam de veículo próprio aqui em Florianópolis, o fazem por “status”, e – como bem lembrado pelo Damião – sem necessidade. É muito egoísmo usar um carro para levar apenas o motorista, falta cidadania e responsabilidade social. É pura matemática, um veículo de 4m de comprimento levando uma pessoa é mais espaçoso que um coletivo de 12m que transporta 50 pessoas. Sem objeções, não há o que contestar!

    Responder

  2. Posted by Carla on 14/10/2009 at 16:23

    Incentivar transporte coletivo é a única coisa que não ouvimos ainda. Acabamos de chegar de SP. Metrô a 2,55 a viagem. Ônibus, a 2,45. E nem é pelo preço. Mas pela sincronia. Quem fica parado em ponto de ônibus em SP é a placa que indica que ônibus passam em tal rota. Nem banco tem porque não dá tempo de sentar! Te garanto que se não tivessem na época da Ângela tirado o Expresso, por exemplo, que circulava a cada oito minutos entre UFSC-Centro-UFSC, muitos dos que moram no Sta Mônica, Trindade e afins continuariam andando de ônibus, independente do preço. Mas com passagem cara e sem horário, não será difícil observamos carros sozinhos andando pela rua daqui uns dias! Aqui em casa a ‘frota’ de seis anos atrás dobrou. Somos seis adultos. Todos tem seu carro. E todos vamos ao centro todos os dias. E sozinhos. Fazer o quÊ?

    Responder

  3. Posted by Cesar Laus on 14/10/2009 at 17:54

    Damião,

    Vamos fazer uma continha simples:

    Sentido anti trânsito (tem hífem?) – quando eles entram na cidade eu saio, quando eles saem eu entro.

    Ônibus – da minha casa, atrás do Beira-mar, até Barreiros leva, em média, 50 minutos. Preciso pega dois ‘latão’, literalmente. Valor – R$ 5,00 pra ir e R$ 5,00 pra voltar. Duas horas e 10 min por dia entre trânsito e espera.

    Carro – um litro de gasolina para fazer o trajeto, R$ 2,50, e 15 min para ir e para voltar. Limpo, rápido, barato, eficiente, com ar e com a música que eu quero ouvir.

    Qquer cidade que queira ter transporte público rápido, barato e eficiente, além de limpo e com ar, tem que bancar a conta. É melhor pagar pelo uso da população no ônibus do que pagar pelo “aumento” das ruas para passar carros com um cara dentro.
    .

    Responder

  4. Posted by Joanildo on 14/10/2009 at 18:16

    Damião, já retratei minha história aqui, sobre este mesmo tema, e faço coro ao Cesar Laus. Moro no Saco dos Limões e trabalho em Palhoça. R$ 2,80 para ir até o centro (15 min.), mais espera. R$ 3,50 até Palhoça (25 min.). Total de R$ 6,30 mais 40 min. De automóvel, R$ 6,00 de combustível e 15 min. Não dá para ir de “busão”. Vou de carro. Porém, gostarai muito de ir de ônibus. Motorista particular e sem estresse.

    Responder

  5. Eu só não canso de falar da tragédia do transporte da cidade por que sou um mosquito. Se fosse gente desistia

    Responder

  6. Posted by Spesso on 18/10/2009 at 13:18

    Descobriram a pólvora do que já se faz há séculos nos EUA, os “park and ride”. Gente de visão é isso aí. Será que esse povo que decide as coisas não tem a capacidade de viajar uns míseros dias e observar as soluções adotadas em outros países?

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: