Nosso primeiro arranha-céu

 

Hoje é um dia de aniversário no centro histórico de Florianópolis: o Edifício Meridional, na Praça 15 de Novembro, completa 50 anos de inauguração. Mas não é um aniversário banal, porque o Meridional – originalmente chamado de Edifício do Banco Nacional do Comércio – foi o primeiro e festejado arranha-céu residencial da capital catarinense. O feito, conduzido pelo gerente do banco, Guido Bott, representou o primeiro sinal concreto do crescimento de Florianópolis.

A matéria completa que escrevi sobre o assunto está no Notícias do Dia deste sábado-domingo. Conto a história toda do prédio e entrevisto dois moradores dos mais antigos, entre os quais o último gerente do Banco Nacional do Comércio – que administrou a filial do banco gaúcho entre 1965 e 1972. Neste último ano, o BNC foi absorvido na fusão com outras instituições, ressurgindo como Banco Sulbrasileiro. Quase duas décadas depois o Sulbrasileiro quebrou e foi sucedido pelo Banco Meridional – daí o atual nome do edifício –, que acabou vendido para o gigante espanhol Santander.

Confiram tudo no ND deste fim de semana, que está nas bancas desde cedo.

panorama1959

Panorama de Florianópolis em novembro de 1959, dois meses depois da inauguração do Edifício Banco Nacional do Comércio (centro da imagem, que escaneei de uma revista daquele ano). Percebam que à esquerda estava em construção o Edifício das Diretorias, prédio público da Rua Tenente Silveira. Ao lado da Catedral aparece em construção outro arranha-céu residencial, o Praça 15 (*), na Rua Arcipreste Paiva. Onde está o trapiche é hoje o Terminal Cidade de Florianópolis.

——————————————-

(*) Meu amigo George Richard Daux me deixou em dúvida, hoje cedo. Depois de ler a matéria ele me questionou se aquele próximo à Igreja Matriz não seria o Cidade de Florianópolis. Realmente, deixo a questão no ar. Mas a outra informação que George contestou — de que esse, na lateral do templo católico, seria o primeiro condomínio residencial de grande porte da cidade — está esclarecida na imagem acima: em novembro de 1959, dois meses depois da inauguração do Banco Nacional do Comércio, o edifício ainda estava em construção.

Anúncios

6 responses to this post.

  1. Posted by paulo dutra on 19/09/2009 at 17:55

    ACHO..QUE O PRIMEIRO PREDIO A SER ERGUIDO EM TAMANHO GRANDE PARA A ÉPOCA FOI O IDIFICIO IPASE, QUE FICA ENFRENTE A PRAÇA PEREIRA OLIVEIRA
    ALI FOI TAMBEM INSTALADA A PRIMEIRA BOATE DE FLORIPA
    A SABINOS BAR E BOATE

    Responder

  2. Sempre gostei desse prédio, tive uma amiga que morava nele. Bom saber que ele faz parte da história da cidade.

    Responder

  3. Posted by Gs on 19/09/2009 at 20:29

    Foi o Zahia, em 58.

    Responder

  4. Posted by paulo dutra on 20/09/2009 at 8:19

    AQUELE PREDIO EM CONSTRUÇÃO AO LADO DA CATEDRAL É MESMO O CIDADE DE FLORIANÓPOLIS.
    QUEM NASCEU E SE CRIOU AQUI COMO EU SABE

    Responder

  5. Posted by Leopoldo (Neco) Pelin Jr on 20/09/2009 at 9:24

    Damião, parabens pela reportagem.

    Responder

  6. Damião, apenas para ilustrar um pouco mais, o Edificio Cidade de Florianópolis (esquina da Arcipreste Paiva c/ Vidal Ramos), foi entregue entre 1960/1962. Fui aluno da Professora Jurema Cavallazzi, e em 1959, quando fiz o primeiro ano do primário as aulas eram dadas numa casa antiga, localizada na rua Visconde de Ouro Preto, exatamente nos fundos do Cine São José (ali foi erguido o edificio ? Daux). Em 1960, ou ano seguinte, Dona Jurema mudou-se para o Edificio Cidade de Florianópolis e lá passou a lecionar. Abraços – Paulo

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: