O jogo todo é muito rasteiro

 

Vejam que interessante: o PSOL entrou com uma representação contra o senador José Sarney, no Conselho de Ética, anexando como prova um recorte de jornal. Não quer dizer que Sarney seja inocente – no Senado, poucos o são –, mas basear uma representação numa matéria de jornal é, no mínimo, desconsiderar a possibilidade de que os veículos de comunicação sejam parciais. Muitos são parciais, sim. Uma comentarista da CBN nacional tem feito campanha sistemática contra os senadores. Ela não apresenta fatos, apela a uma verborragia impressionante, cujo objetivo, certamente, é contaminar a opinião pública. E, claro, representações contra Sarney e outros podem chegar ao conselho de ética baseadas, candidamente, nas opiniões (teorias, análises pessoais) da comentarista.

Eu vejo que o problema não é apenas com o Congresso Nacional. A mídia ajuda a colocar fogo, sem piedade, sem checar, fundamentando matérias em declarações de opositores que querem crucificar os adversários. O jogo todo é muito rasteiro.

Anúncios

3 responses to this post.

  1. Posted by Gs on 07/08/2009 at 0:53

    Damiao, tua análise é perfeita.A mídia acaba, com essa verborragia, colocando em cheque as acusaçoes realmente fundamentadas, e com isso, tambem cai em descrédito e se iguala aos senadores espertalhoes.Aliás, essa comentarista a quem te referes é de uma leviandade a toda prova.Coloca tudo e todos na vala comum, generaliza com uma facilidade débil, beirando a histeria.

    Responder

  2. Damião deixa de hipocrisia. Cita o comentarista da CBN e os outros senadores.

    A tua “defesa do Sarney” parece que está implicitamente ligada a defesa de outra senadora, de quem você é bem amiguinho.

    Ps. Alguns blogs tem observação sobre o uso de matérias publicadas, pedindo que citem-se as fontes. Questão de gentileza e ética. (caso lei do pedágio)

    Responder

  3. Posted by LesPAul on 07/08/2009 at 12:30

    Damião, claro que não somos santos, certo! Mas a imagem refletida não é culpa do espelho. Zuzo bem, alguns espelhos são como aqueles de casa de terror em parque de diversões, deformam tudo o que refletem. Porém, o pior papel da mídia é quando esconde, omite ou se encosta na catrefada e perde a autonomia, nada vê e nada critica. A canalhice midiática está mais em de regra escolher o córner dos canalhas, que são quem no fim paga as contas do mês com luz, previdência social/funcionários e papel. Gasolina na mão de jornalista não é novidade. Novidade mesmo é o nível subterrâneo que a banalização da safardagem alcançou.

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: