O preço da solução

 

O prefeito Dário Berger falou, falou, mas não disse nada de muito novo. Implantar ciclovias é obrigação do poder público, não há nenhum mérito nisso e ele nem precisaria ter ido à Alemanha para tratar do assunto. Queremos ver é o prefeito e seu padrinho, o governador Luiz Henrique da Silveira, resolverem a questão do transporte marítimo, uma das formas mais eficazes de transporte coletivo regional. Não fazem por quê? Porque não tem asfalto, não é obra grandiosa, não dá retorno político-econômico.

Vejam só a estimativa que fez o secretário, responsável pela descentralização (sic) do governo na Grande Florianópolis, Walter Gallina, para melhorar nossa infraestrutura viária (viadutos, túneis, metrô): R$ 2 bilhões. Percebem? Aqui estamos falando de uma iniciativa que interessa aos governantes, porque tem custo elevado, não é coisa pra zé-mané ficar enchendo o saco.

Anúncios

2 responses to this post.

  1. Posted by bicicletanarua on 24/06/2009 at 0:49

    Eu discordo quanto à efetividade de obras de custo elevado e aos interesses nelas envolvidos. Dá-se para melhorar um tanto a mobilidade com soluções de baixo custo financeiro e grande ganho à população em geral. Implantar ciclovias é obrigação do poder público, mas quais agentes de poderes públicos admitem isso? Muito poucas pessoas.
    Eu também fico com um pé atrás porque quanto maior o custo de um projeto, maiores as chances de desvios de verbas. Maluf, túneis, marginais, pontes e Minhocão em São Paulo demonstram-me isso.
    Até onde eu saiba, um dos eventos a que o Dário foi na Europa (lá em Stuttgart) foi o Congresso mundial da ONG Cities-for-Mobility, que trata, basicamente, de bicicleta. Assim, parece-me extremamente mais natural que lá se tenha falado em ciclovias (uma boa coisa, visto que, na Semana Internacional da Bicicleta, realizada em Florianópolis, teve gente de PoA que sequer citou bicicleta!) e não em transporte marítimo.
    A ênfase desse congresso era: Transporte e Coesão Social e um dos assuntos que deve ter sido tratado lá é como tornar as ciclovias funcionais para que as crianças possam se deslocar para a escola de bicicleta com segurança. Algo que já ocorre em Sorocaba, Praia Grande e até no bairro paulistano onde nasci.

    Responder

  2. Posted by Carlos Henrique on 24/06/2009 at 17:22

    Se a criançada fosse de bicicleta pra escola metade do problema já estava resolvido. O trânsito na época das férias escolares sempre melhora muito na cidade.

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: