A cidadania sitiada

 

Conversei outro dia com dois vizinhos velhinhos. Perguntei como é que estavam, como vinham aguentando os dias frios, essas coisas de diálogos corteses. Reclamaram muito da solidão, da falta de alternativas para idosos etc. E também de algo que parece corriqueiro na cidade: não saem mais à rua sozinhos, com medo de assaltos. Só passeiam com os filhos ou de táxi. Nem para uma volta pela praça 15 se sentem animados. Temem pela segurança, na praça ocupada por malacos de várias procedências.

Uma jovem mãe que acompanhava nossa conversa interveio: “Eu também não saio com meu bebê, só se estiver com alguém junto. A insegurança é completa. Famílias não podem mais viver no centro de Florianópolis”.

Nem nos bairros, diga-se a verdade, a propósito principalmente de Trindade, Itacorubi, Saco Grande, João Paulo, Monte Verde – e por aí vamos, chegando também a Ingleses, Canasvieiras, Jurerê.

Anúncios

4 responses to this post.

  1. Posted by Anonimo da Silva on 15/06/2009 at 10:42

    Tristes tempos em Florianópolis. Muitos vieram iludidos pela propaganda dos especuladores imobiliarios. Está ruim para idosos, para bebe,adultos e para jovens (tem que sair de carro e rodar distancias para poder passear). Falta mobilidade urbana, falta segurança falta emprego…Criaram a ilusão das praias e do paraiso se esquecendo de dizer que temos invernos bem chatinhos e que , se metadae da população for a praia não cabe nas mesmas pois elas são pequenas. Aliá, sobre praias e tainhas o mosquito fala verdades sobre os nossos restaurantes.

    Responder

  2. Posted by Jailson on 15/06/2009 at 14:02

    No evento da RBS, show do Roberto Carlos na baia Sul, tinha um guarda por metro quadrado na região, uma maravilha. Já nos finais de semana, ou a noite, a cidade vive sem um guarda sequer nas ruas do centro.
    Acho que para poupar dinheiro a PM faz horário comercial. E só trabalha a noite quando a RBS exige.

    Responder

  3. É uma lástima, no monumento no centro da Praça está cheio de moradores de rua instalados lá novamente, Largo da Alfândega, rodoviária Rita Maria.
    Maior parte das vezes não tem 1 policial nem na Schmidt, eu já disse pra fazer o Conjunto Habitacional Rita Maria, já estamos cansados de falar e nada resolvem.
    Ainda bem que minha avó, pai, tia e outros já não estão mais aqui para ver tamanho descalabro e descaso com a cidade.
    Eles foram mais felizes, viveram áureos tempos onde pelo menos os idosos podiam sair com dignidade.

    Responder

  4. Pior é ver a cara-de-peróba do prefeito falando em retirar os malabaristas, apreender os equipamenmtos e usar a guarda municipal pra afastá-los das sinaleiras. Eles são o de menos, sr. prefeito. Tá apinhado de vagabundo rondando centro e bairros e ninguém apresenta uma pol[itica INTELIGENTE. É um tremendo show de incompetência.

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: