Por que torcemos contra a Copa em Florianópolis

Desterro perde a poesia e se torna paraíso dos arrivistas

Desterro perde a poesia e se torna paraíso dos arrivistas

Estava lendo há pouco o que o Marcos Castiel escreveu em seu blog sobre a questão das cidades-sedes da Copa do Mundo de 2014. “Não importa o que acontecer, nós já perdemos” é o título do post. Castiel aponta uma relativa desunião da cidadania em torno de Florianópolis, não só por causa da disputa para ser uma das sedes do maior evento esportivo do Planeta. O cronista se refere ao definhamento da capital catarinense enquanto cidade de fato, espaço de moradia, convivência, natureza e lazer.

O que há, e nós dizemos isso neste blog desde o início, em 2004, é que Florianópolis tornou-se uma terra de oportunidades, mais ou menos como Balneário Camboriú, sem identidade e personalidade. Quem quer ganhar dinheiro relativamente “fácil” vem para cá – inclusive os mendigos bêbados que moram na Praça 15 de Novembro desde 2005. Muita gente se iludiu com Florianópolis; muitos acharam que era moleza chegar aqui, montar a barraca e acionar a caixa registradora. Não é assim: quem nasceu ou vive há muito tempo em Desterro sabe. O único negócio próspero, de resultados rápidos, é a construção civil, especialmente quando ligada ao turismo. E é essa a oportunidade, como sabemos, que a turma que se instalou no poder percebeu: vincular o turismo a empreendimentos sólidos, não à simples curtição da cidade (curtição da cidade são os gastos dos turistas com entretenimento, passeios, gastronomia, visitas a museus, compras de suvenires etc., como em Paris). Então, Florianópolis deixou de ser atraente pelo que é (ou foi) para se tornar um negócio sob a perspectiva de políticos negociantes, cujo discurso é nitidamente argentário. Só não percebe quem é trouxa e se contenta com pequenos favores eleitorais, como sacos de cimento, tijolos, areia, pregos, ferros, telhas (a construção civil informal ampliou velozmente a destruição de Florianópolis nos últimos cinco anos). Essa concessão à esculhambação urbana, através do clientelismo político escancarado, foi a forma que os políticos negociantes encontraram para respaldar a organização que pretendem, ou seja, abrir espaço para os ricos empreendimentos de preços finais abusivos e restritivos. Não tenho dúvida de que o projeto dessa gente é, no longo prazo, expulsar a pobreza para garantir a presença de mais arrivistas que aparecerem por aqui. Esses arrivistas serão os eleitores do futuro.

Enfim, a Copa 2014 seria (ou será? – escrevo antes do anúncio da Fifa e não poderei acompanhar a divulgação dos nomes das cidades porque estarei viajando) a grande oportunidade para a virada econômica que os negociantes planejavam, ou seja: a transformação impiedosa de Florianópolis num paraíso de supostos ricos, os novos ricos, exatamente aqueles que pensam, respiram e se alimentam unicamente dos lucros, e não contribuem para o bem-estar geral da sociedade. Aliás, os nossos políticos negociantes fazem parte dessa constelação de falsos burgueses deslumbrados que se apossaram de Florianópolis.

É para que eles não se dessem bem (mais ainda) é que torcemos contra a Copa em Florianópolis.

Anúncios

5 responses to this post.

  1. […] Por que torcemos contra a Copa em Florianópolis Carlos Damião […]

    Responder

  2. Posted by Bea on 31/05/2009 at 14:02

    Assino embaixo.
    Bjs.
    Bea.

    Responder

  3. Posted by Felipe on 31/05/2009 at 16:45

    Florianópolis é, como justificou a Globonews hoje o dia inteiro, uma cidade pequena e com vários problemas de infra-estrutura. Mas, não vai faltar quem diga que isso foi uma injustiça, que a cidade mais querida do Brasil ia ganhar Metrô de Superfície e um Aeroporto decente, pura ilusão. Como se vê, a grande mídia não engole as maquiagens e devaneios desta politicalhada canalha, macomunados com os empresários que não estão nem aí pro povo. Ou seja, todos só querem se dar bem e encher os bolsos. Prova disso é a “rasgação” de dinheiro público orquestrada pelo Seo Knaesel e demais fantoches, que foram, é claro, gastar em Nassau. Devem estar rindo da nossa cara, nós os trouxas que acreditamos neste bando de cara de paus. Vão trabalhar de verdade e parem de ficar metendo a mão na cumbuca mantida por quem paga os caros impostos que esta mesma turma nos faz engolir. Que sirva de lição. Calhordas! A nossa querida capital agradece tão acertada e de bom senso decisão da Fifa, que fez um pouco de justiça nesta terra de tantas injustiças. Pelo menos não vão continuar enriquecendo com as “obras faraônicas” que demoram pra ser concluídas e inflacionam o valor final em muitos e muitos $$$$$. Já chega. Torraram uns milhõezinhos com o tal Congresso Mundial de Turismo que foi uma reunião de bacanas do setor muito cara para o contribuinte e vai beneficiar apenas os grandes investidores de hotéis e Resorts.
    A propóstio, quem não deve estar gostando muito desta notícia é aquela grande Rede de TV e a sua Recópia, né não Damião??
    Bom Domingo sem Copa, graças a Fifa.

    Responder

  4. Posted by paulo stodieck on 31/05/2009 at 20:33

    Damião, para que os teus leitores não demonstrem estarrecimento, resgate o comentário feito pelo Chacal, no dia 17 de fevereiro de 2009. Abraços – Paulo Stodieck

    Responder

  5. Posted by Luis Felipe on 01/06/2009 at 0:30

    nao quer a copa em floripa quem insiste em achar que é bom ser provinciano em uma cidade que nao tem mais mais condicoes de ser provinciana.

    alias o fato de floripa ser o caos que é atualmente se deve justamente pelo fato de termos tanto provincianismo e sermos tao avessos a melhorias.

    quando fizeram a mauro ramos, la nos anos 50, muita gente chiou, hoje ela nao comporta mais o transito.

    quando fizeram a beira mar e o aterro da baia sul chiara que floripa estava se afastando do mar, hoja ja nao é mais o suficiente.

    mas todo mundo reclama do transito hoje, todo mundo reclama da falta de infra estrutura da cidade, todo mundo reclama do aeroporto.

    é uma ilusao achar que a copa seria a unica coisa que elitizaria a cidade, porque ela ja esta elitizada.

    nao acredito que a copa elitizaria ainda mais a cidade. no maximo alguns servicos ligados essencialmente ao turismo como hotelaria, estaleiros, e baladas mais voltadas a esse publico

    a copa poderia ser uma oportunidade de melhorar varios servicos. e de acelerar muitas obras necessarias.

    mas quando se fala em grandes transformacoes, as pessoas dessa cidade torcem o nariz, por achar que ainda moram em desterro e nao em florianopolis.

    a cidade esta a beira de um caos, mas copa para que ne? as pessoas acham que serao apenas jogos e festa, e filas de turistas. obras? ah roubalheira com certeza!! sim, se ficarem apenas blogando e nao fiscalizando, sem duvidas isso vai acontecer, e continuara acontecendo mesmo sem a copa.

    algumas pessoas pensam que é melhor floripa ser preterida por cidades que sao inferiores tanto em infra estrutura quanto em hotelaria. isso ae, agora vamos ficar chupando o dedo enquanto a cidade a prostituicao (natal), ou do desmatamento (cuiaba) que sao inferiores a floripa fiquem com a fatia do bolo que restava.

    e viva o provincianismo

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: