A morte da cultura em Santa Catarina

 

Não li o artigo de sua excelência no Diário Catarinense de hoje, abordando a realização do congresso do WTTC em Florianópolis. Eu disse, no post anterior, que o título já me afastou da leitura, de cara. Aí o Lucian, que é um leitor atento e preocupado com os destinos da cultura catarinense, pinçou de lá o trecho inicial do texto de Luiz Henrique da Silveira.

Eis o comentário que Lucian postou e que eu assino embaixo: 

“O século 20 foi daqueles que melhor souberam organizar o trabalho. O século 21 será dos que melhor souberem organizar o lazer. Pensando nisso, agregamos as três áreas afins (cultura, esporte e turismo), criando um agregado sinérgico que deságua num conceito sincrético o lazer…”

Está aí a ideologia do novo-rico estampada. Uma nova burguesia cheia de dinheiro, mas sem educação e história como outrora. É por aí que se dá a morte da cultura e o nascimento do lazer.

São novos tempos: ganha-se e gasta-se dinheiro com a distração, a pedra angular do momento, e tem-se esse breve respiro para que o trabalho possa render mais sem saber muito como e por quê. E a cultura, a natureza e o homem… bem…

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: