Novo Largo da Alfândega recupera um cenário de Desterro em linguagem contemporânea

O Largo da Alfândega Prefeito Dakir Polidoro volta a ser um imenso espaço aberto à convivência e à contemplação dos moradores de Florianópolis e turistas. Sua requalificação urbana demorou, mas está quase pronta para o uso da população. Demorou porque … Continuar lendo Novo Largo da Alfândega recupera um cenário de Desterro em linguagem contemporânea

Coronavírus lembra a pandemia da gripe espanhola. Em Florianópolis, morreram 124 pessoas em 1918

Com o mundo em alerta por causa do coronavírus, que começou a se espalhar na China e já alcança outros países, não custa lembrar um caso semelhante, da segunda década do século 20, a gripe espanhola. Conforme registros históricos, 124 florianopolitanos morreram em 1918, vítimas da pandemia. Como no caso do coronavírus, a gripe espanhola foi transmitida por algum viajante que chegou à capital catarinense naquele ano. Na imagem: Sada Massad Daux, uma das vítimas da gripe espanhola na capital catarinense. Reprodução de reportagem da revista Mural, escrita pelo falecido jornalista Celso Martins. No mês de outubro de 1918 chegou … Continuar lendo Coronavírus lembra a pandemia da gripe espanhola. Em Florianópolis, morreram 124 pessoas em 1918

Quase um século depois, modernismo ainda incomoda os reacionários

Estamos a dois anos do centenário da Semana de Arte Moderna, evento cultural mais marcante do século 20 no Brasil, uma verdadeira revolução, que representou a ruptura com os padrões tradicionais da criação artística no país. Em suma, e simplificando um pouco (mas não muito), o modernismo rompeu com as linhas conservadoras que predominavam nas artes plásticas, na literatura, na música, no teatro. Promoveu uma travessia, muitas vezes ruidosa e sempre provocativa para uma nova e revolucionária estética (na imagem, o realismo modernista da obra “Operários”, de Tarsila do Amaral, de 1933). Tudo o que vivemos e amamos até aqui … Continuar lendo Quase um século depois, modernismo ainda incomoda os reacionários

Um dia de energia e luz na Ponte

Quando cheguei ao meio da ponte, no sentido Ilha-Continente, senti um medo infantil. Procurei no vazio a mão de meu pai, que uma vez me disse (eu tinha uns nove ou 10 anos): “Não tenha medo. A ponte balança, mas não cai. Balança, porque é pênsil, está pendurada – e apontava para o alto das torres”. Claro que eu já tinha experimentado essa sensação, do “balanço”, inúmeras vezes. Acompanhei pelo menos uma dezena de visitas técnicas depois que a reforma ganhou ritmo, entre 2016 e 2018. Mas hoje foi diferente, foi um medo nostálgico, talvez porque eu quisesse que meu … Continuar lendo Um dia de energia e luz na Ponte

O justo reconhecimento a Raimundo Colombo pela recuperação da ponte

Não convidar o ex-governador Raimundo Colombo para a reinauguração da Ponte Hercílio Luz é um ato mesquinho, mas completamente ajustado à “nova política” que emergiu das urnas na onda do bolsonarismo, em 2018. A política que se pretende nova na verdade reedita as práticas da Velha República (1889-1930), do coronelismo baseado na vingança, no rancor e no ódio. Algo que se conheceu também a partir da redemocratização de 1946 – a histórica rivalidade entre UDN e PSD construída a partir de movimentos que visavam a aniquilar os “inimigos”, de um ou de outro lado, conforme quem estivesse no poder. [Na … Continuar lendo O justo reconhecimento a Raimundo Colombo pela recuperação da ponte